MULTIUSO 17

seta gira…De tudo que há no mundo … tem na feira de Caruaru… (Onildo Almeida/Luiz Gonzaga)

Clicando em artigos, resenhas, poemas/contos e multiuso você pode ver tudo o que já foi publicado. Incluisve LER DEVIA SER PROIBIDO, da mineira Guiomar Grammont, que pode mudar a sua vida.

13jan. A NECESSIDADE DA ARTE

Galera, ainda tô arrumando o ninho. Sabe como é canceriano, né? Quer dar uma olhadinha? Rapidinho (mas clique nas imagens. A chamejante figura da varanda está em tamanho natural em A MULHER, e a Inocente Sedução, em MULTIUSO15):

casa nova, poltronascasa nova, varanda, mulher

Tá indo, né? Olha que interessante:

Depois de muito matutar, dois exagerados vasos de madeira (para planta) foram reprojetados  para móvel de home (poraí, já se viu o tamanho da loucura, né? Cada um tinha 80×30 cm… Havia um outro ainda maior – 80×50 -, já partido ao meio. Aliás, pela foto à direita acima, vê-se que dois outros também mudaram de função, né? Contrate arquiteto/decorador, amigo. É melhor).  Bem, chamado pela razão, levei os que iam virar móvel a um marceneiro que já havia estado no apto (e, portanto, visto a bela família rústica que vive lá) e lhe encomendei a retirada da face maior de cada um deles. Dali por diante, elas viveriam como tampo, sob uma tv. Só que encomendei, também – claro – uma psicanálise geral na madeira: lixa. POR DENTRO! Sabe como é, né? Se ia mexer com cultura (tv, dvd, cd …). Não ia precisar de um bom trabalho por dentro?

Na manhã seguinte:

seu Luiz, o móvel tá pronto. Pode vim buscar. Ó, tirei aquele verniz véi, fei todo, viu? Tá bonito, agora… Novinho em folha…

Veja como eram (não repare no corre-corre. Esses eram os mais razoáveis):

casa nova vasos

Faltou terra nos pés.  Meu deus! Fui correndo.  Pobre de minha madeira decasa nova, mesa DEMOLIÇÃO, coitada (veja só a mesa ao lado). Tanto tempo,  tanto sofrimento! Tão cara! E, agora, novinha em folha. Freud agiu por dentro e por fora… Quem lhe devolveria, agora, a pele de história?

Só não me lembrou, por exemplo, a Revolução Cultural de Mao, (…abaixo o passado, derrubem tudo, queimem … Veja  CISNES SELVAGENS, VOCABULÁRIO DE IDEIAS PASSADAS, STALIN, MAO, FIDEL (e ERENICE)), porque o pobre Freud agiu apenas por ignorância, coitado. Foi aí que me lembrei de 02 livros da juventude: A NECESSIDADE DA ARTE (Ernest Fischer) e  A HISTÓRIA DA ARTE (E. G. Gombrich). Tá notando por que não tenho passado tanto por aqui, leitor? No que se pôde, algo da história foi recuperado, viu (esqueci de arrumar, antes de fotografar. Atrás da Tv, por exemplo, tem tomada…)?

casa nova, tv

08jan. OS MANDAMENTOS DE BERTRAND HUSSELL

Bertrando Russel, autor de A HISTÓRIA DA FILOSOFIA OCIDENTAL (03 vol), foi o mais importante introdutor de filosofia, na minha vida. Quem leu (ou não) GRILAGEM x APAGÃO MORAL, VOCÊ É SOCIALISTA? TEM CERTEZA?, NADA É TUDOSÓ O ATO SALVA e só o ético pode orar, EM DEFESA DA ÉTICA E DA LIBERDADE, INCLUSIVE DE EXPRESSÃO, ÉTICA NÃO É IDEOLOGIA, O ZIGUE-ZAGUE DAS PALAVRAS, BLEFE, QUEIXO DURO!… tem ainda mais motivo para prestar atenção nos 10 mandamentos abaixo:

BERTRAND RUSSEL, mandamentos, 1, Veja, fev 1970BERTRAND RUSSEL, mandamentos, Veja, fev 1970, 2BERTRAND RUSSEL, mandamentos, Veja, fev 1970,3

Veja, fev, 1970.

07jan. O CAMPEÃO, CRAQUE POR CRAQUE  (Roberto Pompeu de Toledo)

seleção 70Os Supremos, o campeão de 2012, apresentou-se com a seguinte formação: Celso; Gilmar, Peluso, Marco Aurélio e Toffoli; C. Lúcia, Weber e Britto; Fux, Barbosa e Ricardo. Atuações:
Celso — Fez jus à máxima de que todo grande time começa com um grande goleiro. Transmitiu aos companheiros a tranquilidade e a segurança que se esperam de quem ocupa a posição. Não se intimidou com a frequente situação de ser o socorro da última instância, aquele a quem cabe agir por último e “errar por último”, como disse certa ocasião. Por vezes abusou do virtuosismo, fantasiando as defesas com acrobáticos floreios, mas tal característica foi compensada pela experiência sem par entre os companheiros e pelo domínio da posição.
Gilmar — Cumpriu o que dele se esperava, e sem excesso de protagonismo. Sabe fazer cara feia para espantar o adversário. Foi um lateral cauteloso, só indo ao apoio com moderação. Não comprometeu o nome ilustre que lembra craque do passado.
Barbosa foi o astro da equipe. Com seu passe atingindo valores estratosféricos, chega-se a falar numa milionária transferência para o time do Planaltino, cuja sede fica do outro lado da rua.

Peluso — Tipo do zagueiro de área clássico, de intervenções precisas, em que vale sobretudo a técnica. Impõe respeito na grande área sem apelar para a violência. O fato de ter saído ao fim do primeiro tempo desfalcou o time de um fator de estabilidade.
Marco Aurélio — Defende a área como quem se diverte, o que se evidencia pelos frequentes sorrisos irônicos, ao longo do jogo. Mas que ninguém se iluda: também é capaz de chegar junto, dar carrinho e despachar o adversário com a rude arma da insolência.
Toffoli — O mais discreto do time. Tratou de cobrir o flanco esquerdo da defesa com empenho que não foi além do estritamente necessário e raras vezes subiu para o apoio. Parecia tolhido por fatores extracampo.
C. Lúcia — Um primor de atuação, como volante de contenção. A discrição e a economia são suas marcas, notáveis entre colegas com tendências para o excesso. O estilo provou-se ideal para fechar a defesa e dar liberdade à movimentação do ataque.
Weber — O que foi dito de C. Lúcia lhe vale igualmente. Mostra uma certa timidez, como integrante caçula do time, mas isso não impediu que em certos momentos sua atuação fosse decisiva.
Britto — Um meia-armador como raros. Habilidoso e sutil, foi capaz de ditar o ritmo do jogo, imprimindo-lhe velocidade ou cadenciando-o, conforme as exigências do momento. Seu incomum controle de bola rivaliza com a capacidade de atrair os contrários e conferir ao time a harmonia possível. Alguns consideram que, não fosse sua atuação como capitão do time durante a maior parte do jogo, o desfecho poderia ter sido outro, ou até poderia não ter havido desfecho.
Fux — Atacou ora com picardia, ora com pontadas estridentes como acorde de guitarra. Sua jogada preferida foi cair pelas pontas, procurando a melhor condição de cruzar para a finalização do centroavante.
Barbosa — O astro da equipe. Centroavante que une a técnica à impetuosidade, tem a têmpera dos craques movidos pela volúpia do gol. Saiu consagrado e com torcida própria, superior à do próprio time, como a de Neymar ou a de Messi. Com seu passe atingindo valores estratosféricos, chega-se a falar numa milionária transferência para o time do Planaltino, cuja sede, como se sabe, fica do outro lado da rua. Fator preocupante é o temperamento difícil, que provocou tumulto em vários momentos do jogo. Ele pode em função disso enfrentar problemas na carreira.
Ricardo — Atacante de excelente técnica, que complementa com combatividade e astúcia, formaria dupla de sonho com Barbosa caso os dois falassem a mesma língua. Ocorre o contrário. Já não fosse o fato de que um capricha no latim enquanto o outro esbanja o inglês, deu-se o desatino de entrarem em campo com camisas diferentes. Imagina-se que alguma confusão no vestiário se tenha dado na hora da distribuição dos uniformes.
O ano terminou com fenômeno inédito na história da República: mais gente é capaz de recitar de cor a escalação do Supremo Tribunal Federal do que a do ministério. Pode-se mesmo suspeitar que muitos seriam mais capazes de recitar a escalação do Supremo do que a da seleção brasileira, se seleção escalada houvesse.

04jan.PROFESSOR BIRA

BIRA NEGRO PASSAR

Não cheguei a ser seu aluno (não mereci e Ele era de História). Mas, que fale por mim a minha ex-professora (e incentivadora: foi ela quem levou o artigo VAMOS ABRIR A RODA para  Tribuna da Bahia; veja BAILINHO DE QUINTA) Consuelo Pondé de Sena, presidente do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro:

“Foi uma grande perda, Bira é extremamente inteligente, preparado, culto, um nome que se firmou na cultura brasileira como um dos baianos mais expressivos da atualidade. Uma figura de relevo dos mais destacados da Bahia nos nossos tempo. Muita saudade e muita falta”.

http://g1.globo.com/bahia/noticia/2013/01/veja-repercussao-da-morte-do-historiador-ubiratan-castro-na-bahia.html

Obrigado, professor. Veja também:

PROFo. Dr. UBIRATAN CASTRO DE ARAÚJO, HISTÓRIA DA BONDADE: PROFESSOR CID TEIXEIRA, AÇOUGUE CULTURAL/MULTIUSO 2, BECHARA, GEYSI E O LIVRO “POR UMA VIDA MELHOR”, LA VIDA POR LA IZQUIERDA E O ADVOGADO DO EX-MINISTRO ORLANDO SILVA

03jan. GILBERTO GIL TOMA POSSE NA SECRETARIA DE CULTURA DE SALVADOR

posse de Gilberto Gil

Mudança não é tão ruim assim, né? Olha o que encontrei aí: 1987. No círculo vermelho, eu (era bonitinho e tinha cabelo). Nos amarelo e azul, Ceiça (namorada) e suas primas. O engraçado é que a gente demorou de se encontrar naquele dia (não havia celular; aliás, não havia nem telefone…). E o mais engraçado: quem me deu a foto foi a minha então ex-namorada (a primeira em Salvador), que trabalhava na Tribuna da Bahia (naõ sei se foi publicada).

31dez. FELIZ ANO NOVO

Quem era jovem nos anos 80 ou é politizado hoje sabe do que vai escrito no texto de Ruy Fabiano, abaixo. E quem é do Sindjufe-ba sabe da impôrtância que foi, para a entidade, a VITÓRIA HISTÓRICA de maio 2012. Pessoalmente, agradeço a…

(IMAGEM RETIRADA A MANDO LIMINAR DA JUSTIÇALIMINAR JUDICIAL. Volto a frisar que imagem é proveniente da própria imprensa sindical)

… colaboração de quem veio (com ou sem texto) ao blog, sobretudo aos leitores de DESVIO NO SINDJUFE É DE BEM MAIS DE MEIO MILHÃO!, O ZIGUE ZAGUE DOS NÚMEROS, O ZIGUE-ZAGUE DAS PALAVRAS, O POVO NÃO É BOBO, ABAIXO…, VIVA A CORRUPÇÃO!, O QUE É ISSO, COMPANHEIRO?, POR QUE … DESISTIU?.

Feliz Ano Novo:

O PT pavimentou sua chegada ao poder, a partir de 1980, como o grande moralista da política brasileira. Era o grande acusador, que anunciava um outro mundo, tão logo triunfasse.PT, LULA, ORIGEM, Veja, 27fev80O triunfo completa em 2013 sua primeira década, sem que se conheça o tal novo mundo. Ao contrário, o país, em matéria de práticas públicas, retroagiu à Velha República, também conhecida como a dos “carcomidos”, que desembocou na Revolução de 1930. De acusador, o PT passou a acusado, com suas principais lideranças condenadas à prisão pelo STF, exibindo ao público, em matéria de lambança, tudo o que apontava (sem provar) nos adversários. Hoje, se pode constatar que o comando petista seguia a velha lição de Lênin:Acuse-os do que você faz”.

A farra não começou com a chegada de Lula à Presidência. Antes, já ensaiara os primeiros passos nas prefeituras que conquistara. Exemplo mais eloquente foi o de Santo André, cujo desfecho foi o assassinato do prefeito Celso Daniel, que, segundo a família, envolve gente graúda do partido. PT, PARTIDO SEM PATRÃOImagine-se o que o partido faria com uma operação policial como a Porto Seguro, que revelasse que o presidente da República misturava alcova e Estado, em prejuízo do interesse público. Imagine-se ainda o que diria se o filho do presidente entrasse pobre e saísse rico do mandato do pai. O PT acusou diversas vezes o filho de Fernando Henrique de se locupletar às custas do poder do pai, mas foi no mandato do pai que a família de sua mulher teve um banco extinto, o Banco Nacional.

Acuse-os do que você faz”, eis o lema posto em prática (… )

Jamais se soube qual era o projeto do PT para o país. Sabia-se apenas que, quando chegasse ao poder, iria moralizar a vida pública. Diante do strip-tease no STF, o partido busca outra linha de argumentação: roubou, mas distribuiu renda. Ocorre que a distribuição de renda foi plantada no governo anterior, graças à estabilidade do Plano Real, sem o qual seria impossível os avanços posteriores.

Não se tira o mérito de o governo Lula ter se recusado a aventuras na economia, mas dizer que a distribuição de renda é obra solitária do PT é tão falso como uma profecia maia…

na íntegra: http://oglobo.globo.com/pais/noblat/post.asp?cod_post=480481&ch=n

29dez. DE PAI PARA FILHO

Uma das primeiras cenas do  filme:

DE PAI PRA FILHO, GONZAGUINHA capa de Veja

DE PAI PRA FILHO, GONZAGA 1Ô coisa boa! Molhei os “zói” várias vezes. E meu muleque, toda hora desviando os olhos da tela para os meus? Arrancava-me beijo e riso, com a frase: “…estou vendo o seu lado mais sensível, agora…”. Ri mais ainda quando soube (depois do filme) do resultado das eleições em Salvador…

E quando saíamos do cinema, ele disse: “quando sair o dvd a gente cola, né, pai?”. Ele mal tinha  11 anos… Isso é Luiz Gonzaga, De Pai Para Filho

Quando oiei a terra ardendo
Qual a fogueira de São João
DE PAI PRA FILHO, GONZAGA, GonzaguinhaEu perguntei a Deus do céu, ai
Por que tamanha judiação

Eu perguntei a Deus do céu, ai
Por que tamanha judiação

Que braseiro, que fornaia
Nem um pé de prantação

Escolha o vídeo (veja todos): http://www.youtube.com/watch?v=dL3vzrFMQto, http://www.youtube.com/watch?v=cWb5IwRJvYQ, http://www.youtube.com/watch?v=cGDJ-oWQ3_ocoreanos cantam Gonzaga

Até em coreano: http://www.youtube.com/watch?v=HUNav_z266Y

07 janeiro1970 (Veja):

Veja 1970, Gonzaga, Gonzaguinha

Veja também: INSENSATO CORAÇÃO, BECHARA, GEYSI E O LIVRO “POR UMA VIDA MELHOR”, MULTIUSO7, NADA É TUDO, o blog

28dez. A CASA DOS BUDAS DITOSOS 1

“O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa teve a concessão do título de cidadão baiano recusado na última sessão da Assembleia Legislativa da Bahia…

O deputado Luciano Simões (PMDB) da bancada da oposição, que propôs a homenagem pelos “relevantes serviços” que Barbosa…

O peemedebista disse ter ocorrido “forte reação” dos deputados do PT e PCdoB, quando propôs o nome de Barbosa, pois os dois partidos o AVENIDA BRASIL, Carminhaconsiderariam o principal “algoz” dos condenados no STF.

Deram o título para o deputado Ronaldo Caiado (DEM-GO) e não aceitaram para o ministro Barbosa — reclamou, ao lembrar que, para contrapor o nome do homenageado, o deputado Álvaro Gomes (PCdoB) propôs também título de cidadão baiano para o revisor do mensalão, Ricardo Lewandowski.

 http://oglobo.globo.com/pais/noblat/posts/2012/12/27/joaquim-barbosa-tem-titulo-de-cidadao-baiano-recusado-por-deputados-480157.asp

Veja também:

GUIA POLITICAMENTE INCORRETO DA HISTÓRIA DO BRASILGUIA POLITICAMENTE INCORRETO DA FILOSOFIA (o livro. Ou quase)POR QUE VIREI À DIREITA (o livro. Ou quase), O BLOCO DOS DESCARADOS …

A CASA DOS BUDAS DITOSOS 2

Taí um livro que preciso reler. Uma delícia! Melhor ainda se lido a quatro mãos, honestamente, SEM MEDO DE SER FELIZ…:

foto  Jurgen wekmeister“…Mas, enfim, de modo geral era um barato brincar com a hipocrisia e driblá-la criativamente. Essa amiga de quem eu já falei, Norma Lúcia (…) me deu grandes lições de anti-hipocrisia aplicada, usando a força dela contra ela, como dizem que fazem os lutadores de jiu-jítsu. A manobra de pegar no pau. Pegar no pau de maneira que ele pense que é a primeira vez em que a indigitada pega num pau. Nunca tomar a iniciativa e, apenas na terceira ou quarta tentativa, deixar, toda relutante e pudica, que ele puxe a sua mão. E aí pegar de leve, como se estivesse pegando num bibelô de casca de porcelana, dedos hesitantes, mão quase flácida, até ele dar dar um risinho superior e grunhir «podes apertar». E então ele explica, e você escuta atenta e receosamente, que é natural para a mulher inexperiente pegar daquela forma, mas agora você sabe, deve-se apertar. E aí, a princípio sem muita convicção, mas logo fazendo progressos, você passa a apertar à vontade e até a abrir a braguilha dele (…)

Número dois: manobra para chupar. Isso era sempre, semprérrimo, a primeira vez. Era tal a obsessão dos homens pela primeira vez que iam para a cama com uma mulher de quarenta e ela conseguia convencê-lo de que era a primeira vez em que chupava alguém. Que meravilha… não existe coisa que o homem se gabe mais do que a amante fazer com ele o que não faz com o marido, tudo chute, armação. Sexo anal, a mesma coisa, etc. etc. Oh, é a primeira vez, devagar, tá? Grandes atrizes se perdem todos os dias…

Norma Lúcia era uma gênia. Ela e eu subíamos juntas a rua Chile, com semblantes de moças mais ou menos recatadas e absolutamente família, olhando as vitrines e tendo altos papos de sacanagem. Altos papos mesmo, porque eu sempre tive minhas tinturas, e ela era meio intelectual, escrevia em suplementos literários e se esfregava com pintores por causa de quadros, chegou até a conseguir que um namorado comesse um pintor veado em troca de quadros, ela era danada. Esse negócio de primeira vez mesmo, ela batizou em latim. Principium primae não sei o quê, qualquer coisa assim, somente para poder encetar papos de sacanagem com Almeida Júnior, um professor de filosofia da faculdade, e tirar uns sarros com ele, sarros pesados, mas só sarros, porque ele tinha medo de meter nela, havia muito homem assim, pelo menos na Bahia. Aquela rua Chile de antigamente, aqueles homens nas portas das lojas, todos de branco e apalpando ou pinicando os bagos, alguns passando a mão para cima e para baixo, acho que era um tipo de moda, não sei por que faziam isso, sempre me pareceram um bando de hipopótamos no cio. A gente, as hipopótamas, sou obrigada a A CASA DOS BUDASreconhecer, a gente rebolava bastante quando passava por eles, e Norma Lúcia gostava de ouvir piadas grossas, como “eu lhe dou um banho-de-gato, putinha”, ou então “bonito cu” e outras que tais, parece que ela atraía isso, algum deles dizia esse tipo de coisa a ela toda vez que ela passava, ela fingindo que não ouvia, mas adorando. Eu digo que tenho saudade e não deixa de ser verdade, mas é como se eu pudesse separar as coisas boas das ruins, impossível. Era um tempo difícil mesmo, tínhamos que ser artistas em diversos campos… É, saudade é besteira, há sempre muita idealização nisso.

(JOÃO UBALDO RIBEIRO, em A Casa dos Budas Ditosos, fls. 33, 34 e 35. Série Plenos Pecados, Ed. Objetiva, RJ, 1999

27dez. DOIS POEMINHAS

Amigo leitor:

Para que o abandono do trabalho não se caracterizasse de vez, transformei este post em MULTIUSO. Estou perdidaço: um ex-leitor numa casa que nunca termina (os livros, embora sem saber, já estão no lugar; já trabalhos começados há três meses…)! Nem falo da construtora Graute, desaconselhável! E, ainda por cima, “síndico”! Que tal? E o melhor: REFORMA pra tudo o que lado (dos 28, só 06 aptos estão habitados! Que saudade do meu mundinho antigo!). Tá pensando que acabou? Tem novo prédio se levantando a poucos passos! Tem coisa melhor? Dói quando essa orquestra para, de tão linda! Tanto que, agora (05:01h) os passarinhos já convocam os operários…

Dois poeminhas pra aliviar:

Esta vida é uma estranha hospedaria,
De onde se parte quase sempre às tontas,
Pois nunca as nossas malas estão prontas,
E a nossa conta nunca está em dia…

DOS HÓSPEDES

Meu saco de ilusões, bem cheio tive-o.
Com ele ia subindo a ladeira da vida.
E, no entretanto, após cada ilusão perdida…
Que extraordinária sensação de alívio!

DAS ILUSÕES

(Mário Quintana, em ESPELHO MÁGICO)

27dez. MALDADE

maldade, CARTAS em Veja 19dez, ed. 2300

25dez. ÁRVORES:

DE NATAL

FOTO PATRIC DERMACHELIER

fotografia de Patric Dermachelier

E DE ANO NOVO:

feliz ano novo

Anúncios
Esse post foi publicado em machadodeachismo, oxigênio. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s