NADA É TUDO

Sempre clique nas imagens para vê-las em zoom. Se você nãoPolítica como único meio de mudar mundo (e isso requer princípios), você a vê como meio de mudar o $eu mundo. Visite:

http://delubio.com.br/blog/

Você lembra que, até chegar ao poder, o PT representou quase tudo (leia o texto de Lúcia Hypólito em SEÇÃO MULTIUSO)?  O primeiro mensalão conhecido (e outras cositas más) provam, mesmo, que  NADA É TUDO, como bem disse o excelente Eduardo Giannetti (http://www.editoras.com/campus/20582.htm).  O normal  é os grupos de interesse  conquistarem o poder e, quanto menos sociedade (regras públicas, vigilância, cerco ao Estado, sociedade civil), mais trair a si mesmos.  Se lembrarmos dos discursos, somos forçados a perguntar:  como aguerridos militanteséticos patriotas implacáveis com o vício dos outros, de repente, tornam-se tão sóbrios com os seus e os dos seus partidos? Por falar nisso, não é estranho que, num Estado tão pouco sóbrio como o brasileiro, a esquerda se vire dentro dele sem maiores constrangimentos?  Será história ou estória aquele papo de que o problema brasileiro tá no sangue, meu deus?

Bem, digamos que o Homem é o Animal-desejo, Animal-interesse ou o Animal-poder de sempre. Claro que nem sempre que ele jogou alguma lataria sobre si, pintou-a de vermelho (ou outra cor) e a pichou com palavras bonitas, ele estava falando sério.  É um animal político: comandado pelo desejo. E, como tal, um bicho que procura a  felicidade (satisfação do desejo).   Quem é que num qué? Quem é que num qué?, cantava  Luiz Gonzaga.  Atenção: o refrão “Quem é que num qué? Quem é que num qué?” é de uma música que eu ouço todo ano, no São João (tudo de Gonzagão, Jakson do Pandeiro, etc, é tocado no carro, durante a viagem). Prometo achar o nome esse ano. Mas, olha o que ue encontrei:

http://letras.terra.com.br/luiz-gonzaga/1563415/

A voz do povo é a voz de deus, né? E essa satisfação não se dá no trivial, mas no supérfluo,  como alertava  o velho Nelson Rodrigues. 

Mas, convenhamos que o próprio animal já inventou uma história ou estória que, bem pensada, funciona: ÉTICA (única prisão de segurança máxima capaz de conter a fera, justamente por ser feita de conceitos e princípios que o próprio preso não aceita atacar). É ela quem, impondo a tal pergunta  o que posso ou devo fazer?,solicita que se questione, contenha-se e limite o próprio desejo ao não prejuízo do outro.  Quando o sindicato pingou os 60.000 em gotas de TV, ele estava mesmo pensando na categoria?  Ou numa massa de futuros eleitores a quem um futuro  carro de som  lembraria a marca Sindjufe e, por decorrência, o seu máximo condutor?

a bahia vai bem, como vai meu bem querer/ a bahia vai bem/ obrigado a você…

Dê uma olhadinha na frase de Sartre, na coluna ao lado.

Leia também

 DOGVILLE

ÉTICA NÃO É IDEOLOGIA

Anúncios
Esse post foi publicado em e-mail sindjufe, machadodeachismo. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para NADA É TUDO

  1. Pingback: ÉTICA NÃO É IDEOLOGIA |

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s