O BLOCO DOS DESCARADOS

23jul. OPERÁRIO NO PODER“, LULA RECEBEU NÃO SE SABE QUANTOS PRÊMIOS E TÍTULOS PELO MUNDO. TODOS MUITO BEM NOTICIADOS. JÁ FHC, COITADO, …

Trechos de sua páginas amarelas de Veja (edição2278, 18jul12). Veja se você discorda, leitor (grifos nossos):

“… Então, o desafio do governo da presidente Dilma é retomar algumas reformas e fazer o que o governo do presidente Lula não fez durante o bom momento do crescimento econômico, que é cuidar do investimento e da poupança. No vento a favor, Lula cuidou do consumo, não da produção, do investimento. A produtividade da nossa indústria perdeu em comparação com a de outros países. Mas não é a produtividade de dentro da fábrica. É de fora. São as estradas, o custo da energia, os aeroportos, o sistema tributário, a educação. Mais do que a possibilidade, a presidente Dilma tem a necessidade de olhar para a poupança e o investimento. Nosso futuro está aí…

… O Brasil hoje é o país da Bolsa Família e da Bolsa Empresa, o que resultou na felicidade geral. Daí o apoio ao governo.

Isso é ruim?
Primeiro, a felicidade é quase geral. A classe média ficou de fora. Mas, com a prosperidade das bolsas, as pessoas perderam a motivação para debater. Não há mais debate. O debate político-partidário perdeu sua centralidade. Não é um fenômeno só brasileiro. A Europa vive isso, os EUA também, mas com menor intensidade. No nosso caso, isso decorre da desconexão entre o mundo institucional da política e a sociedade. Passou a haver uma relação direta do Executivo com o povo, pulando o Congresso. É uma tendência brasileira antiga, mas se acentuou. Toda hora dizem que não temos oposição no Brasil. Está errado. A oposição está dentro do Congresso, só que o Congresso não tem repercussão na rua. Os partidos saíram da sociedade e se aninharam no Congresso ou no governo. O partido com mais vínculo com o movimento social era o PT. Com o PT no governo, o movimento social virou cadeia de transmissão da vontade oficial. Perdeu vitalidade. O debate se deslocou para a mídia. É por isso que o governo acusa a mídia de ser oposição. Porque é a única instituição que fala e o povo ouve

… Sempre digo: se você não politiza, não acontece nada. Veja o mensalão.
Se Roberto Jefferson não tivesse dramatizado e politizado, talvez o caso não
tivesse a consequência que teve. Política requer que se tome partido, que se
tome posição. Tem de dizer se está certo ou se está errado. A política é
valorativa…

… Uma absolvição (dos MENSALEIROS), se for percebida como algo por baixo do pano, vai referendar isso. É um julgamento histórico porque uma sociedade se forma de símbolos. Quando Lula foi eleito, preparei a transição mais civilizada possível. Entre outras razões, porque Lula era o primeiro líder popular sindical eleito presidente. Simbolicamente, é importante

… A China é um mandarinato ilustrado com responsabilidade popular. Na minha visita ao país, fiquei bem impressionado com o debate na universidade. Eles estão voltando a falar em termos confucianos da virtude. O funcionário público, o mandarim, deve ser competente, fazer concurso e ter a virtude de servir o público. Na Rússia, não tem isso. No Brasil…”

Na íntegra: http://sergyovitro.blogspot.com.br/2012/07/entrevista-fernando-henrique-cardoso.html

20jul. O MINISTRO DIAS TOFFOLI PRECISA COMPREENDER QUE O CAMINHO DA DESONRA NÃO TEM VOLTA

(Texto do jornalista AUGUSTO NUNES. Ideal para quem não entende bem o significado de aparelhar)

… Paulista de Marília, diplomado em 1990 pela Faculdade do Largo de São Francisco, Toffoli sonhava com a vida de juiz de direito. Tentou o ingresso na magistratura nos concursos promovidos em 1994 e 1995, Duas reprovações consecutivas, ambas na primeira fase dos exames, aconselharam Toffoli a conformar-se com a carreira de advogado do PT, anabolizada pela ficha de inscrição no partido. Nem desconfiou que começara a percorrer uma curtíssima trilha que o levaria ao Supremo Tribunal Federal.

Nos anos seguintes, foi consultor jurídico da CUT, assessor parlamentar do PT na Assembleia Legislativa de São Paulo, assessor jurídico da liderança do PT na Câmara dos Deputados, subchefe para Assuntos Jurídicos da Casa Civil da Presidência e, a partir de março de 2007, chefe da Advocacia Geral da União. Em outubro de 2009, Lula entendeu que deveria premiar com uma toga o aplicado companheiro que também chefiara a equipe jurídica do candidato nas campanhas presidenciais de 1998, 2002 e 2006.

Sem saber o suficiente para virar juiz de primeira instância, Toffoli tinha 42 anos quando se viu premiado com um cargo reservado pela Constituição a gente provida de “notável saber jurídico”. No País do Futebol, a torcida brasileira condenaria à morte na forca um treinador que ousasse transformar em titular da Seleção um jogador da categoria sub-20 reprovado em duas tentativas de subir para o time principal. No Brasil Maravilha, o presidente da República escalou um advogado para jogar no STF a favor do governo…

Na íntegra: http://veja.abril.com.br/blog/augusto-nunes/direto-ao-ponto/o-ministro-dias-toffoli-precisa-compreender-que-o-caminho-da-desonra-nao-tem-volta/

Mais do excelente Augusto Nunes em: MULTIUSO15, DESCANSANDO, MANDAR É FÁCIL…, MULTIUSO10, QUE PANCADA!, VOCABULÁRIO DE IDEIAS PASSADAS, MULTIUSO8

OBS: Fiquei da falar sobre o que vi nas atividades do novo Sindjufe, nas varas do trabalho, ontonte (18jul).  É um trabalho sério e bonito, que deve dar frutos no futuro. Pelo menos por enquanto, acabou aquele canto fúnebre de uma voz só. Mas, como o próprio sindicato nada escreve em sua página (sobre o evento), nem mostra as fotos… Deve gostar da LEI DO SILÊNCIO, né? Ah, é verdade: a galera posta vídeos… Tá certo. Não tá errado, não. Numa vara, onde não se para nem pra ouvir o que se tem a falar, a galera vai clicar em vídeo, mesmo. Eu, que felizmente há anos não trabalho mais em vara, cliquei, ontem. Mas não abriu. Eu preferiria ter lido texto e visto fotos. Mas admito que sou jurássico.

Tudo bem: no fim, perguntei a um conhecido aposentado: “…e aí, meu amigão, o que tá achando da nova galera, tá melhor ou pior?”.  ‘Tá melhor“, ele respondeu. Cometi a indiscrição: “votou nela ou na outra“? “No outro“, ele respondeu. Note: “No outro“; não na outra (galera). Entende-se, né? Cuidado, galera. Tá brincando de morrer, é?

19jul. UM GRANDE NEGÓCIO II

Até 1994 ele não tinha bens dignos de penhora. Em fevereiro de 2000, o único bem encontrado em seu nome foram menos de dois mil reais em conta bancária.  Ele é funcionário de uma pequena prefeitura goiana, e o seu salário não passa de R$1500,00 (mil e quinhentos), segundo a “reacionária” revista Veja (ed. 2257, 22fev12). Mas, tornado dirigente sindical, reuniu alguns bens que, segundo ele, não passam de um milhão de reais. O seu nome é João Domingos Gomes dos Santos, presidente da CSPB (Confederação dos Servidores Públicos do Brasil –http://www.cspb.org.br/diretoria.php), e ele foi um dos entrevistados de Alexandre Garcia, ontem, na Globo News (êta coisa ruim, essa “imprensa burguesa“, meu deus!). Veja que linda história:

Gostou das “ajudas”, leitor? Razoáveis, né? Melhor do que isso só igreja, banco,  futebol… Quer saber como a carreira do pobre servidor deslanchou? Tem a ver com o ex-minsitro Carlos Luppi… É só clicar:  http://www.relacoesdotrabalho.com.br/profiles/blogs/3919183:BlogPost:228832

Mais uma imagenzinha:

Quando eu voltar do trabalho, falo das atividades do sindicato que presenciei, ontem. Fui.

Veja, também:  TEMPERATURA
MÁXIMA!!
, ILUSÕES
PERDIDAS
,  PARTIDO
DA CLEPTOMANIA DO BRASIL
O QUE É ISSO, COMPANHEIRO?, LA VIDA POR LA IZQUIERDA E O ADVOGADO DO EX-MINISTRO
ORLANDO SILVA
, O QUE É ISSO,
COMPANHEIRO?
, EM DEFESA DE KLEBER SALAZAR …)

18jul. VOTO NULO ANULA ELEIÇÃO?

Veja o que diz Lúcia Hipólito:

“Toda eleição é a mesma coisa (…) na Internet a notícia (falsa) de que 50% mais um de votos nulos anula a eleição. E diz mais ainda: que aqueles que concorreram na eleição anulada não poderão concorrer na segunda eleição, a ser expressamente convocada pela Justiça Eleitoral. Com isso, uma porção de ouvintes e comentaristas do blog fica em dúvida me envia e-mails com o texto, perguntando se é verdade. Toda eleição respondo a mesma coisa: não, não é verdade…

http://oglobo.globo.com/pais/noblat/luciahippolito/post.asp?cod_post=126193

Veja, também:

“…No sentido de anular a eleição, o voto nulo não serve pra nada! Aliás, segundo o próprio site do TSE , “O Tribunal Superior Eleitoral decidiu que os votos nulos por manifestação apolítica dos eleitores (protesto) não acarretam a anulação de eleição.

http://www.e-farsas.com/voto-nulo-anula-a-eleicao.html

O CASO DE BOM JESUS DE ITABAPOANA

“…Mas a verdade é que os eleitores de Bom Jesus de Itabapoana não foram tão “corajosos” nem “esclarecidos” assim. O que realmente aconteceu é que o Tribunal Superior Eleitoral indeferiu as candidaturas de dois dos candidatos: Branca, da coligação PMDB / PDT / PSL / PTN / PHS / PMN / PT / PSDB / PC do B / PT do B / PSC; e Paulo Sergio Cyrillo, da coligação PP / PRP / PRTB / PV / DEM / PRB / PPS / PSB (que sopas de letrinhas, que salada ideológica). Assim, os 9.337 votos recebidos por Branca e os 9.388 por Cyrillo foram contabilizados como nulos. Com isso, os 1.492 votos dados ao candidato vencedor, João José Pimentel (PTB) foram os únicos considerados válidos. Houve ainda 1.021 votos em branco.

Segundo o TSE, os 23.334 votos do município foram assim distribuídos (confira no site do TSE):

  • Válidos: 1.492
  • Brancos: 1.021
  • Nulos:  20.821

Como Cyrillo e Branca tiveram, juntos, 18.725 votos, isso quer dizer que os votos anulados a propósito (ou por erro do eleitor) somaram 2.096, ou seja, 9% dos votos apurados. Bem diferente do que diz o texto, que deseja dar a impressão de que 89% dos eleitores teriam propositadamente anulado o voto.

O texto diz também que o fato não foi divulgado em nenhuma mídia: “até a Globo se calou”. Ora, nesse link, pode-se ler a reportagem do jornal O Globo Extra falando do que aconteceu em Bom Jesus e explicando corretamente a situação. A reportagem cita ainda Santo Antônio de Pádua como outra cidade onde aconteceu algo parecido: o indeferimento de algumas candidaturas que, mesmo assim, foram votadas, levou à anulação de grande número de votos.

Outra coisa importante: somente pelo fato de ter um grande número de votos nulos, uma eleição não é anulada. Mesmo que o candidato com mais votos tenha apenas 6% do total apurado, como foi em Bom Jesus, ele é declarado vencedor, já que o que se consideram são somente os votos válidos!…”

http://blog.boullosa.org/pt/2008/11/voto-nulo-nao-anula-eleicao/

……………………………………………………………………….O BLOCO DOS DESCARADOS

Infelizmente, sequer se ouviu falar em jornalistas, escritores, pensadores… a não ser no capitalismo, não foi? Quem souber de algo mais, por favor, informe. Veja-se mais em MULTIUSO8, O POVO NÃO É BOBO, ABAIXO…AMORAL DA HISTÓRIA, VIVA A CORRUPÇÃO!PARABÉNS, VEJA 2 (EDIÇÃO ESPECIAL), DESCANSANDO… Veja por que adoro a imprensa “burguesa” (tem gente que adora outra coisa, mas diz que odeia. Alias, a chamada burguesa parece ter sido a única imprensa que já existiu, não foi? Curiosmaente, também a única onde escreveram os maiores e mais competentes comunistas e socialistas):

“Na política, quando chove cinismo, é uma tempestade. Dias atrás, por exemplo, o ainda senador Demóstenes Torres alegou, em desespero de causa, que não seria justo ele perder o mandato por ter mentido aos seus pares sobre as suas relações com o contraventor Carlinhos Cachoeira, com quem trocou pelo menos 300 telefonemas, segundo a Polícia Federal. Mentir, sofismou o desmascarado paladino da ética numa das sete vezes em que discursou para se safar da cassação, é uma questão de consciência, não de quebra de decoro parlamentar, até porque os legisladores são invioláveis por suas palavras e atos.

Corte para a sala de sessões da CPI do Cachoeira, onde o prefeito petista de Palmas, no Tocantins, Raul de Jesus Lustosa Filho, tenta se defender do indefensável: a proposta que fez ao bicheiro em 2004 pela qual, em troca de recursos para a campanha, a empreiteira Delta receberia de mão beijada um contrato de coleta de lixo na capital. Pobre político: ele ignorava que Cachoeira tinha escondido uma câmera de vídeo no ar-condicionado do escritório onde se reuniam, na cidade goiana de Anápolis. A fita foi descoberta com diversas outras pela Polícia Federal na casa do ex-cunhado do contraventor. “Tive a infelicidade de ser filmado“, lamentou-se o prefeito negocista.

Aplica-se aos dois casos o implacável dito popular: “Vergonha não é roubar; é roubar e não poder carregar”. Demóstenes enganou muita gente durante muito tempo. Raul Filho só enganou os que gostavam de ser enganados, ou pouco se lhes dava, como o ex-presidente Lula, que agasalhou no PT o político que começou a vida no PDS (a ex-Arena da ditadura militar) em 1982, passou para o PFL (atual DEM), daí para o PSDB e, enfim, para o PPS. Agora, transpirando indignação, os companheiros preparam o seu desligamento da sigla, como se nunca antes tivessem encontrado o menor indício de má conduta do prefeito eleito e reeleito sob a sua bandeira. Tanto encontraram que tentaram expulsá-lo no ano passado, mas ficou por isso mesmo.

Raul de Jesus Lustosa Filho é uma figura. “O senhor Carlos Cachoeira (sic) nunca fez doação para a minha campanha”, disse à CPI, alegando ainda não se lembrar como veio a conhecer o interlocutor nem se sabia de suas atividades no ramo da batotagem. “E nenhuma empresa (dele) venceu qualquer licitação durante o meu governo.” De fato, o bicheiro não é formalmente acionista da Delta – com a qual a prefeitura de Palmas firmou seis contratos em sete anos para a coleta de lixo. Mas ele, Raul, não teve nada com isso. Quem cuidava das licitações municipais era uma certa Kenia Duailibe, coincidentemente sua cunhada. Quem as fiscalizava era outro cunhado.

Decerto uma coisa também nada tem que ver com a outra, mas a irmã de Kenia e mulher de Raul, a deputada estadual, também pelo PT, Solange Duailibe, tem uma assessora em cuja conta a Delta depositou R$ 120 mil. À CPI, o prefeito não negou o depósito, mas disse não saber por que foi feito e para que teria sido usado. O cinismo de Raul enfureceu os inquiridores tanto da oposição como da base aliada, enquanto os membros petistas do colegiado, à exceção do relator Odair Cunha, de Minas Gerais, faziam a proverbial cara de paisagem. Um deputado, Chico Alencar, do PSOL fluminense, disse que o prefeito encarnava o “padrão degradado” da política nacional.

Esse padrão se materializa no trânsito dos políticos pelas siglas, reduzidas a cabides de candidaturas em benefício das caciquias que as controlam. A conivência com a corrupção vem de cambulhada. Ainda agora, o País acompanha, bestificado, as alianças mais improváveis para as eleições municipais de outubro próximo. O pacto entre o PT de Lula e o PP de Paulo Maluf em torno do ex-ministro Fernando Haddad em São Paulo só virou escândalo por causa da teatralização exigida pelo ex-prefeito. Já o dono do PSD, Gilberto Kassab, que apoia na capital o seu antecessor tucano José Serra, impõe ao partido em Belo Horizonte uma aliança em torno do candidato do PT – que só se explicaria, segundo se especula, pela ambição de se tornar ministro de Dilma Rousseff no ano que vem.

O que os une a todos é o descaramento.”

fonte: http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,o-bloco-dos-descarados-,899172,0.htm

Veja, também:

VOCÊ É SOCIALISTA? TEM CERTEZA?, ÉTICA NÃO É IDEOLOGIA, NADA É TUDOFALSIDADE IDEOLÓGICA?, MADE IN URUGUAI, A ERA LULA- parte 1A GUERRA QUE ELES NÃO PODEM PERDER, CONSELHO DE ÉTICA

Anúncios
Esse post foi publicado em machadodeachismo, oxigênio. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s