MULTIUSO15

Esta já é minha. Vi-a na Livraria Cultura/Shopping Salvador. Liguei para o artista  (Messias Barbosa: http://www.messibtranslucido.blogspot.com.br/) e a adquiri na hora.

Estas, de certa forma, também são minhas. A Mona Lisa mais conhecida é, claro,  de Leonardo. E da humanidade. Já a que lhe serviu de base, de Pedro… Sim: a pintura mais valiosa do mundo foi escaneada à mão a partir de um rabisco do meu filho, de 10 anos! Fazer o quê, né? Veja mais sobre o renascentista brasileiro em eus.

Tudo aqui explora um barro formador: Ética, Pensamento, Literatura, Democracia, Arte(veja o blog). Clicando em artigos, resenhas, poemas/contose multiuso você pode ver tudo o que já foi publicado. Incluisve LER DEVIA SER PROIBIDO, da mineira Guiomar Grammont, que pode mudar a sua vida.

21jun. E VOCÊ, NÃO VAI FAZER NADA?

http://www.youtube.com/watch?v=QM8ZZHRovfM

Taí uma campanha que todos os sindicatos e partidos “de esquerda” apoiariam em tempos atrás. Quem não lembra de ““, “uma capanha do povo brasileiro“? Veja mais em : INSENSATO CORAÇÃO, EM DEFESA DE KLEBER SALAZAR, PARABÉNS, VEJA!, O ABACAXI E AS CARTAS, STALIN, MAO, FIDEL (e ERENICE)

20jun. DIÁRIO DA CORTE

Na época do Lula lá, odiei Paulo Francis. Ele não apenas se referiu à Bahia como terra sem cultura (no sentido não antropológico), como, também, era uma das raras figuras mentalmente visíveis que não cantarolavam o “lula la, nasce uma estrela, lula la…. Agora, estou lendo o saboroso DIÁRIO DA CORTE (Três Estrelas, SP, 2012): como eu era bobo, hein? Em 30.11.89, por exemplo, no artigo PATRULHAS DO PT, ele não só dizia que as “redações” (imprensa) eram todas petistas, como – mais absurdo ainda – que “um governo Lula seria a paralização do país, a menos que ele mudasse radicalmente de posição…” (fl.338). O tempo … (…É praxe do tempo escoar detritos, ortodoxias, ídolos, teorias, a tudo submetendo revisões…” – Nélida Piñon) … Sempre implacável, né, leitor? Veja mais em MULTIUSO 13, MULTIUSO14, A PULGA, O BURRO e AS NORMAS…). Mas, se pelo menos mudasse de posição para mudar o país… O pior é que muda para mantê-lo. E o nosso maior mal, a corrupção, inclusive moral, como combater?

19jun. DOIS ARTIGOS PROVAVLEMENTE FALSOS (Galera, eu vi o que consta desses dois artigos. Mas é possível que sejam falsos):

  1. …O PT VENDE MAIS UM LOTE DA SUA ANTIGA ALMA… (Ricardo Setti)

“… O deus todo-poderoso do lulalato abjurou umas tantas coisas, abriu os braços para gente como Sarney, Jader Barbalho, Renan Calheiros, Romero Jucá e tantos outros do mesmo jaez, e aceitou, feliz, o apoio parlamentar do malufismo, que sempre se situou na outra ponta do espectro ideológico “deste país”.

Depois, quando Collor se tornou senador– o mesmo Collor que havia, entre outras proezas, utilizado de forma sórdida a vida pessoal de Lula na histórica primeira eleição presidencial depois da ditadura, em 1989 –, sem pudor algum aceitou a aliança com o homem escorraçado da Presidência, e por aí vai…”

Na íntegra: http://veja.abril.com.br/blog/ricardo-setti/politica-cia/lula-visitando-maluf-sim-maluf-o-pt-vende-a-antiga-alma-por-1-minuto-e-43-segundos-no-horario-eleitoral/

2. HISTÓRIA UNIVERSAL DA INFÂMIA (Augusto Nunes)

Em novembro de 1984, por não enxergar diferenças entre Paulo Maluf e Tancredo Neves, o Partido dos Trabalhadores optou pela abstenção no Colégio Eleitoral que escolheria o primeiro presidente civil depois do ciclo dos generais. Em janeiro de 1985, por entenderem que não se tratava de um confronto entre iguais, três parlamentares do PT ─ Airton Soares, José Eudes e Bete Mendes ─ votaram em Tancredo. Foram expulsos pela direção.

Em 1988, num discurso em Aracaju, o deputado federal Luiz Inácio Lula da Silva qualificou o presidente José Sarney de “o grande ladrão da Nova República”. No mesmo ano, a bancada do PT na Constituinte rejeitou o texto da nova Constituição.

Em 1989, derrotados no primeiro turno da eleição presidencial, Ulysses Guimarães, candidato do PMDB, e Mário Covas, do PSDB, declararam que ficariam ao lado de Lula na batalha final contra Fernando Collor. Imediatamente recusado, o apoio acabou aceito por insistência dos parceiros repudiados. Num comício em frente do estádio do Pacaembu, Ulysses e Covas apareceram no palanque ao lado do candidato do PT. Foram vaiados pela plateia companheira.

Em 1993, a ex-prefeita Luiza Erundina, uma das fundadoras do partido, aceitou o convite do presidente Itamar Franco para assumir o comando de um ministério. Foi expulsa. Em 1994, ainda no governo de Itamar Franco, os parlamentares do PT lutaram com ferocidade para impedir a aprovação do Plano Real. No mesmo ano, transformaram a revogação da providencial mudança de rota na economia numa das bandeiras da campanha presidencial.

Entre o começo de janeiro de 1995 e o fim de dezembro de 2002, a SETA GIF COBRINHA esq dirbancada do PT votou contra todos os projetos, medidas e ideias encaminhados ao Legislativo pelo governo Fernando Henrique Cardoso. Todos, sem exceção. Uma das propostas mais intensamente combatidas foi a que instituiu a Lei de Responsabilidade Fiscal.

Em janeiro de 1999, mal iniciado o segundo mandato de Fernando Henrique, o deputado Tarso Genro, em nome do PT, propôs a fora fhc deposição do presidente reeleito e a convocação de uma Assembleia Nacional Constituinte. O lançamento da campanha com o mote “Fora FHC!” foi justificado por acusações, desacompanhadas de provas, que Tarso enfeixou num artigo publicado pela Folha de S. Paulo. Trecho:

“… o presidente está pessoalmente responsabilizado por amparar um grupo fora da lei, que controla as finanças do Estado e subordina o trabalho e o capital do país ao enriquecimento ilegítimo de uns poucos…

Na íntegra: http://veja.abril.com.br/blog/augusto-nunes/direto-ao-ponto/anotacoes-para-uma-reedicao-da-historia-universal-da-infamia-2/

18jun-GABRIELA

Eu vi a seleção de 70 jogar e, 05 anos depois, Gabriela. A seleção de Clodoaldo, Gerson, Jairzinho, Pelé, Tostão, Rivelino … chegou a ser lembrada pelas de Telê (82/86), mas a de 75 … É claro que craque não falta, mas o futebol não é mais o mesmo, né? Tudo hoje é muito pegado, corrido. E pelo que tem rolado antes da estreia, não haverá muito espaço para a lentidão do futebol-arte de antigamente. Eu vou assistir, é claro, mas, claro, com os olhos enciumados. Vou, sim, me lembrar dos lances da primeira Gabriela (Sônia Braga) e compará-los com os da segunda (Juliana Paes)…,

bem mais velozes. Vou gostar dos dois, claro. Ora, se são lances de levar o estádio ao uuuuuuuhhhhhhhhhhhh!!!  Mas, como ficam os olhos do futebol antigo, para quem a  Gabrilea de Juliana talvez pareça sorridente e sensual demais para uma tabaroa, como era a de Sonia? Calma, leitor:

A infomarção é da revista Veja de 13nov68, que fala do Tropicalismo e Tom Zé.

Voltando, acho mais parecido com a Gabriela do criador aquele tímido e ingênuo trapo humano que “seu Nacib” só foi enxergar depois do banho que o libertou da poeira e tornou “Bié”. E como não me lembrar de quando, transtornando Nacib, Bié soltou a sua mão e disparou atrás de um festejo popular (um terno de reis, sei lá), deixando para trás um evento culto da elite? Se não me engano, era uma conferência (ou “audiência”) no Cine Teatro da cidade, onde se apresentaria um poeta. Já se iam séculos de espera e nada de o troço começar. “Bié” já não aguentava mais. Tava de saco cheio da pose e olhares que a acusavam e, doida pra se picar, interrogava a toda hora:

-Seu Nacib, já terminou?

Comerciante bem relacionado na cidade,   “Seu Nacib” queria ficar, inclusive para civilizar a agora sua mulher. Foi quando, para o seu desespero,  passou pela frente daquele ambiente number one (veja FERVIDOS E MAL PAGOS?) a cantoria popular que arrastou Gabriela, socorrendo-a. E o melhor: a elite a acompanhou e se integrou à festa. Coisa de novela? Confesso, leitor, que já não distingo mais o que é de Jorge ou da Globo. Ambos foram tão originais!

…O meu coração ateu quase acreditou

Na tua mão que não passou de um leve adeus  

Breve pássaro pousado em minha mão  

Bateu asas e voou…

http://www.youtube.com/watch?v=Ird-5QwJM90

Coração Ateu

Maria Bethânia

EROTISMO1

Quando estás vestida, Ninguém imagina os mundos que escondes
Sob as tuas roupas (…) Mas a noite é nua.

E, nua na noite, Palpitam teus mundos
E os mundos da noite…

…Assim, quando é dia,
Não temos noção
Dos astros que luzem
No profundo céu…

(trechos do poema NU, de Manoel Bandeira). Foto: Sea Dance. Autor: João de Castro

EROTISMO2

Isso aí é dezembro/68, galera. Dá pra ver que mudou, né?  Tô lembrando de uma certa propaganda. Andou dando problema, não foi? Agora, em casa, durante a novela ou BBB, parece que não, né?  No outdoor, então, é lindo!

O SONHO…

… O FEIJÃO, A GREVE E MERCADANTE

Grace e André também postaram no Facebook. Fui atrás e trouxe pra cá:

Note o leitor que, em 04jul/84, o PT e suas estrelas eram o ponto mais alto no firmamento da esquerda brasileira. E o então professor Mercadante falou sobre greve na nobilíssima última página, espaço reservado pela editora aos Pontos de Vista que ela respeita. Que revista reacionária e de direita, hein?  Naquela mesma edição, Luis Fernando Veríssimo perguntava e respondia:

…É praxe do tempo escoar detritos, ortodoxias, ídolos, teorias, a tudo submetendo revisões…(Nélida Piñon) ou não, leitor? Veja mais em MULTIUSO 13, MULTIUSO14, A PULGA, O BURRO e AS NORMAS

FILOSOSOFIA CONTRA O SISTEMA

Na CULT de 04jan2012, tem assim:

“…os escritores formados na tradição marxista recusaram a aproximação do nazismo com o comunismo soviético. Para eles, havia semelhanças entre o período dominado por Stalin e o nazismo, mas essa aproximação não levava em enconta os objetivos específicos de cada regime.

No caso do comunismo, o fato de que buscava implantar uma sociedade melhor e mais igaul pareceu uma razão suficiente para recusar a aproximação com outros regimes, mesmo quando se reconheciam  os excessos cometidos …” (fl.23)

Todo mundo é bom, mas meu chapéu sumiu, né, leitor? Conhece esse ditado? Veja AMORAL DA HISTÓRIA, MINISTRA ELIANA CALMON E AS RAZÕES DO ILUMINISMO, VIVA A CORRUPÇÃO!, NÃO ME DEIXEM SÓ e ONDE ESTÁ O DINHEIRO?, O SHOW-LULA, O TEXO QUE ASSUSTOU e o que se dizia em Praga/Leste Europeu em 1968:

15jun. BALANCEIRO DA USINA

Música da minha infância:

… Balanceiro da Usina / eu não meu bem / É danado pra roubar / eu não meu bem /  Quando não é na balança / eu não meu bem  / Ele rouba no oiar / eu não meu bem … 

 http://www.youtube.com/watch?v=4gSpsGnqk1U

TROPA DO CHEQUE?

Foi engraçado: o  Governador de Brasília, Agnelo Queirós (veja  EM DEFESA DE KLEBER SALAZAR, LA VIDA POR LA IZQUIERDA E O ADVOGADO DO EX-MINISTRO ORLANDO SILVA, TUDO PODE DAR CERTO?, PARABÉNS, VEJA!, MULTIUSO11) já havia falado (“CPI do Cachoeira”), e o Dep. carioca Miro Teixeira fazia ponderações (eu assistia pela Globo News). Ao seu lado, o Dep. paulista Cândido Vaccareza, aquele do “…você é nosso e nós somos teu…” a que a Veja chamou de algo “parecido com português”… Alguém discorda? Como o Governador clamou por uma união suprapartidária para que o Estado pudesse enfrentar os bandidos armados de tecnologia de escuta e gravação com as quais chantegeavam e derrubavam governos (veja NOVO POST2), o Dep. carioca chegou a citar casos de pescoços torcidos a que se chegava, nos arredores de Brasília. Falava em sentido literal. Foi quando, espirituosamente, virou-se para o colega paulista ao lado e brincou: teriam dificuldades com V. Excia, deputado. Risada geral, inclusive de Vaccarezza.

Nada indicava que, ontem, eles quase fossem às vias de fato por causa da expressão “Tropa do  Chequede Miro. 

GRAVE ESQUECIMENTO: o fato é que a base do governo (PT, PCdoB, PMDB…) e o PSDB não acharam razoável que a possível fonte de eventuais “cheques” (DELTA CONSTRUTORA) fosse convocada para depor. Houve quem dissesse, até, que “Não podemos politizar a CPI“… E gente “vermelha”, viu?  Veja: http://oglobo.globo.com/pais/noblat/posts/2012/06/14/miro-teixeira-denuncia-tropa-do-cheque-na-cpi-de-cachoeira-450390.asp

CONVERSA COM ANTÔNIO (Antônio Francisco Bonfim Lopes: NEM da ROCINHA)

Diz a Carta Capital:

“… Um de seus “soldados” aparece na porta da casa. Tem nas mãos uma amostra de maconha e no rosto uma expressão desolada. Nem pede às filhas para brincar na outra sala, enquanto inspeciona a erva. Aperta, cheira e fica decepcionado quando ela rapidamente esfarela e cai na mesinha. “Pode devolver tudo. Que p… é essa… Não dá pra vender essa maconha vagabunda.” “Já é, Mestre”, responde o soldado…

… Hoje em dia, se um moleque vem me procurar querendo entrar pros Amigos eu desencorajo. Tento encaminhar pra escola, explicar que não é o melhor caminho, que ele vai acabar morto ou preso. Essa vida não tem futuro, ainda mais agora com UPP (Unidade Policial Pacificadora) e o c… a quatro. Tem uns que nem me procuram porque sabem que eu vou dizer não. Então o que o moleque faz? Ele começa a andar com algum gerente meu, se aproxima do cara, e entra por osmose. Atualmente eu comando mais ou menos 300 homens. Todos recebem salário, inclusive décimo terceiro, e em caso de prisão ou morte a família recebe pensão pra vida toda. É mais do que muita empresa faz por seus funcionários hoje em dia, e sem dúvida é mais do que o governo faz pela população…

… A melhor coisa que o Lula fez e que a Dilma continuou foi o PAC. Graças a ele eu perdi uns 30 soldados, que vieram pedir pra deixar os Amigos e ir trabalhar nas obras (…foram planejadas pelo governo federal oito intervenções do programa na comunidade, mas nem todas saíram do papel). Eu nem sequer pensei duas vezes e liberei os caras. É esse tipo de ação que precisa acontecer para combater o crime. Dar oportunidade, esperança. Mandar polícia não adianta. Tem quatro ou cinco pra tomar meu lugar se me prenderem ou matarem…”

“…Odeio arma”, conta. “Quando era soldado do tráfico, tempos atrás, eu morria de vergonha de passar na frente das senhoras da comunidade que me conheciam desde criança segurando um fuzil…”

Antes os gays eram esculachados, principalmente por nós, do movimento. Mas como o Mestre tem um primo que acho que é viado, ele passou pra gente outra orientação. A ordem é respeitar todo mundo, independente de viadagem…”, diz [um soldado]

… Você imagina se eu deixo vender crack numa favela do tamanho da Rocinha? O que vai ter de nego assaltando aqui dentro, roubando moto, fazendo o diabo pra conseguir comprar mais uma pedra não está escrito. Ia ser um caos”, explica. “Já a cocaína não tem o mesmo efeito viciante. Tenho amigos que cheiram faz 30, 40 anos, e estão aí, inteiros, com vida social e profissional. Claro que às vezes o pessoal exagera. Já cansei de mandar nego viciado se tratar com um pastor na igreja que toca um programa de desintoxicação…”

“Às vezes penso em largar tudo e sumir, mas e a consequência que isso teria aqui na comunidade? Eu não -tenho sucessor natural. Quem ia ficar no meu lugar? Provavelmente aconteceria outra guerra, banho de sangue, talvez -outra facção tentasse invadir… É tanta coisa que poderia rolar. Então tenho de -pensar nas consequências dos meus atos: não posso simplesmente desaparecer pra depois saber que fui responsável pela morte de pessoas. É como te falei, sou prisioneiro desta vida que -levo. Não tenho pra onde fugir. E olha que se eu pudesse eu saía. Ia criar meus filhos em paz, longe dessa p… toda.”

Ah, Nem, se todos na vida pública brasileira fossem iguais a você.

Na íntegra: http://www.cartacapital.com.br/sociedade/conversas-com-antonio/

SENHOR CIDADÃO

Leitor? Pode ser que os seus ouvidos – muito provavelmente de má procedência, se  nascidos e criados no Brasil dos anos 90 para cá- precisem disso:

http://www.youtube.com/watch?v=zLTMM3r8wYI

Clique, amigo. Pelo amor de deus. É para o seu bem! É da mesma raça de A TRISTE PARTIDA (Patativa do Assaré/Luiz Gonzaga), e você só vai precisar ouvir uma vez pra ficar repetindo pelo resto da sua vida (pelo menos foi o que aconteceu comigo). Veja o que, juntos, cabeça, coração, vozes, instrumentos e metáfora são capazes de fazer. Já no começo:

Senhor cidadão / senhor cidadão/ Me diga, por quê/ me diga por quê/ você anda tão triste…

Essa é outra de 1972, amigão. Ainda é do tempo em que música era obra de arte. Arte, você sabe, né? Aquele troço que tira onda com a (ou da) realidade e ainda lhe exige que seja, no mínimo, SIMPLES. Simples? Sim: singular e plural, ao mesmo tempo. Pois, meu amigão, quando (início dos anos 80) o camarada Ruy Brito, amigo que fiz a apartir de São Lázaro (grandes Ruy, Critina, Teo, Álvaro -falecido- Waldemar, Nelsinho, Alba Riva, Kleber, Kátia, Bene, Magno, Lila…, abraço, amigos) me apresentou o LP SE O CASO É CHORAR, foi logo dizendo:  rapaz, ouça essa música! E botou. Meu cumpade… Assim que “…abra…vera, vera…unívora … cidade…”  autorizou o violão e as vozes a rezarem e chorarem … QUE PANCADA! E quando jesuis desceu à terra, perguntando com bateria e tudo

Oooohhh senhooor cidadãããooo / eu quero sabeeer / eu quero sabeeeeeeeer /com quantos quilos de medo / com quantos quilos de medo/ se faz uma tradiçãããão?…

Rapaz… Você tá ouvindo a música, não tá, leitor? Por mim! Se você não tiver, o problema é seu, né meu. Eu não já cansei de ouvi-la porque não canso, meu amigo. E se não a ouço mais de uma vez por ano (como tudo de Gonzaga, Jakson do Pandeiro, Trio Nordestino, Marinês e sua Gente), é porque não quero que ela se canse de mim. Logo, minha passagem pro céu tá garantida, meu amigo, e se você for pro inferno, pra mim tudo bem. Eu quero é que você arda lá, ao som de Axé, forró de plástico e os cambau. Olha pra isso, infeliz (ou “desinfeliz”, como se falava em Santanópolis):

… Ooohhh senhor cidadããoo, /eu quero saber / eu quero sabeeeer/ com quantas mortes no peito/ com quantas mortes no peito se faz a seriedade?…

E, agora, falado: 

…Senhor cidadão/ senhor cidadão/ eu e você/ eu e você temos coisas até parecidas/ parecidas: por exemplo, nossos dentes/ senhor cidadão/ da mesma cor, do mesmo barro/ senhor cidadão/ enquanto os meus guardam sorrisos/ senhor cidadão/ os teus não sabem senão morder/ que vida amarga…

E orado:

Oh senhor cidadão / eu quero saber / eu quero saber/ se a tesoura do cabelo se a tesoura do cabelo também corta a crueldade…

É que foi feita para o Gal. Médici, leitor maldoso.

Agora, me diga, um poço de beleza e emoção desse, num país desse (leitor, sua misera, agora que seu ouvido tá lavado, faça como você faz quando lava o carro no posto: cuide dele!) pode ficar esquecido lá num ouvido ou outro?

…Senhor cidadão/ senhor cidadão/ Me diga por que/ me diga por que/ Me diga por que me diga porque…

O pior é que pode. Ainda bem, jesuis, que a revista BRAVO (em 2008) deu uma colherzinha de chá e a incluiu na sua lista de 100. Mas, na 74ª colocação! Pelo amor de deus! Quem dera tivéssemos outras 73 dessa. Basta lhe dizer, leitor, que nenhum desses três hinos (A TRISTE PARTIDA, HINO DO BAHIA, ou o HINO DO SENHOR DO BONFIM) integra a lista.  Demais, né? Mas, para compensar, dê uma olhadinha na capa do LP seguinte do Tropicalista de Irará:

Gostou do título? TODOS OS OLHOS! E da foto? Não parece um olho? E dos mais lúcidos, né? Também parece uma boca beijando uma gude, não parece? É tudo isso: Todos os Olhos. Agora, diz a lenda que os lábios são os do ânus de uma linda modelo. Li-o (não me lembro onde) do próprio Tom Zé, que, convenhamos, vê muito, né?

Veja, também, O QUE É ISSO, COMPANHEIRO?,  VIDA INCOMPLETA DOS BEATLES (é só clicar), SHOW DE IMAGENS AO SOM DE ELIS, MARIVALDO BASTOS SHOW (em MULTIUSO9), JURANDY DO SAX, O BOLERO DE RAVEL E A TERRA DA FELICIDADE, MULTIUSO 12, boa VIAGEM, BAILINHO DE QUINTA, 50 ANOS A MIL: A EPOPEIA DE LOBÃO-parte1

A CONTA CHEGOU

04:30h (da matina), leitor, e levantei pra cumprir a promessa: a viagem em livro de POR QUE VIREI À DIREITA (veja NÃO ME DEIXEM SÓ e ONDE ESTÁ O DINHEIRO?). Só que a cada hora a danada começa de um jeito… Sabe como é, né? Pra quem se alfabetizou em São Lázaro (Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas/Ufba- localizada em São Lázaro) nos economicamente terríveis (mas saudosos) anos 80… É um título difícil, né? Nisso, martela o meu juízo (“publica, publica…”) o buchicho (buchicho, leitor! Papo de corredorde internet … Nada oficial) de R$18.000,00 pra apagar! Dezoito mil? Sim. Uma continha de celular! Na verdade (sempre segundo as más línguas), duas. Uma de um mês (6000), outra, de outro (12000). Agora, veja: eu querendo fazer o meu textinho, e o povo ventando história (atenção, leitor: embora da mesma família, ventar e inventar não têm nada a ver). Que coisa, né? Ainda bem queu nunvô pagar sozinho. Você também vai, amigão! Sim! Se for filiado e a conta, real, vai! Ela (a continha), se de fato existir, é do seu sindicato, fi. E, portanto, sua! E parece que o seu órgão de classe tá sem din-din, viu? Agora, como não se sabe se faltou ou sobrou “experiência” (veja A PULGA, O BURRO e AS NORMAS (aos olhos de hoje)), resolvi deixar o texto pra outro dia e fazer este multiuso. É, também, uma forma de dar uma variada , né?

Anúncios
Esse post foi publicado em machadodeachismo, oxigênio. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para MULTIUSO15

  1. Kátia Aguiar disse:

    Ô mô fi… deu até arrepio… não tenho o disco (só Rui pra fazer essas vontades da gente, né? com tantos bolachões!!!!). Então, baixei aqui mesmo da Internet, e ouvi até cansar, ou melhor, com cuidado pra ela também não se cansar de mim… rssss
    Beijo grande… saudades aumentadas… rsss
    Kátia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s