MULTIUSO 13

Essa propaganda está na Veja nº12 (1968). QUANTA DIFERENÇA!, em? Quem seriam os  cavalheiros e damasde hoje? Veja, também,  VIDA INCOMPLETA DOS BEATLES (é só clicar), SHOW DE IMAGENS AO SOM DE ELIS, MARIVALDO BASTOS SHOW (em MULTIUSO9), JURANDY DO SAX, O BOLERO DE RAVEL E A TERRA DA FELICIDADE, MULTIUSO 12 e boa VIAGEM.

DELÍCIA, DELÍCIA

Eneida disse:27/01/2012 às 1:49 am

Parabéns Luiz Estrela, pelo blog e pelas lindas poesias. Muito lindas mesmo! Eneida.

Maria disse: 30/01/2012 às 3:18 pm

Esse blog é igual a vinho, quanto mais o tempo passa fica melhor…

Eneida disse:31/01/2012 às 3:48 am

… Boa leitura mesmo, uma verdadeira revista, que eu compraria, se estivesse nas bancas…

Maria e Eneida: assim, vocês me matam! Obrigado, MESMO e voltem sempre (daqui pramanhã, tem texto)!

A EX-CATADORA DE PAPEL

‘…Ela cresceu no Morro do Adeus, que hoje faz parte do Complexo do Alemão, no Rio de Janeiro, ocupado pela polícia em 2010. Aos oito anos, começou a trabalhar como catadora de papel, garrafas e latas para ajudar a família e para comprar material escolar. Sem descuidar dos estudos, formou-se em engenharia química, fez mestrado, pós-graduação em engenharia nuclear e MBA em economia. Essa ex-catadora de papel fará história no dia 13 de fevereiro. Neste dia, a mineira Maria das Graças Silva Foster, 58 anos, ou simplesmente Graça Foster, será empossada como presidente da Petrobras, na qual começou a trabalhar há 32 anos como estagiária, substituindo José Sérgio Gabrielli. Ela, que era diretora de gás e óleo desde 2007, será a primeira mulher a comandar a maior empresa do Brasil e a quinta maior petrolífera do mundo, com receita líquida de R$ 213 bilhões em 2010 e de R$ 180,4 bilhões até setembro do ano passado (…)“A necessidade que tive de superar a mim mesma desde a minha infância me trouxe muita força, coragem e confiança.”…’

E é fã dos Beatles, viu?  Matéria completa em

http://www.istoedinheiro.com.br/noticias/77282_A+EXECUTIVA+MAIS+PODEROSA+DO+BRASIL

A FILHA DO ALFAITE

“…uma vez, uma amiga que trabalhava na Globo me disse que tinha uma vaga para estágio lá. Fui e fiquei. Ao mesmo tempo, comecei a trabalhar como telefonista na empresa que era a estatal de telefone na época. Não dava para trabalhar sem ganhar nada! Aquilo era um luxo que eu nem podia pensar em me dar. E o estágio não era remunerado. Por um ano, trabalhei nos dois empregos, inclusive nos fins de semana. A minha vida era assim: eu chegava na Globo às oito da manhã e saía às oito da noite. Ia para meu cursinho pré-vestibular, depois para casa e dormia uma hora. Acordava para passar a madrugada na companhia telefônica. Passei um ano assim. Até que a Globo me contratou (…) Nunca senti aquilo realmente como um trabalho. E, como nasci em família muito pobre, fui acostumada com uma vida dura e sem frescura (…) levei esse modo de vida espartano para a vida de repórter (…) Nunca passei fome, mas era tudo contadinho. Meu pai era alfaiate e minha mãe dona de casa. Ela tinha mania de organização. A gente podia ter só um vestido. Mas estava sempre arrumadinho. Eu herdei isso dela (…) A minha preocupação era em combater o preconceito racial. Primeiro dentro de mim, para que isso não me deixasse uma pessoa triste, amarga. E também para que eu não usasse isso como uma defesa. Tipo, receber uma crítica e dizer: “Ah, estão falando só porque sou negra”. Sempre foi um exercício muito grande na minha vida isso (…) “Como uma mulher negra pode estar apresentando um programa que é símbolo de glamour, de mulheres lindas?” Eu era muito mais cobrada. Agora, na TV Globo, nunca houve racismo. E, quando falo isso, falo da família mesmo. Já recebi várias propostas para sair. Nunca saí por causa disso. Só cheguei onde cheguei porque me abriram espaço. Fui a primeira repórter do Jornal Nacional, apresentei o Fantástico quando ele estava no auge. Hoje, sou uma das principais repórteres do Globo Repórter. O doutor Roberto [Marinho, dono da Rede Globo, falecido em 2003] acreditava no talento. E só (…) Para você ter uma ideia, teve gente que disse que eu estava apresentando o Fantástico por causa do movimento negro. Vê se pode (…) O que me deixa muito triste é injustiça…”

Por aí, se vê quantos poços de petróleo o Brasil entope com a sua escola pública, né, leitor (veja INTERVALO CLANDESTINO em MULTIUSO 3)? E esses “poços” fazem a riqueza de muita gente…(veja EM DEFESA DE BER SALAZAR)! Não deixe de ler a entrevista completa: http://revistatpm.uol.com.br/revista/107/paginas-vermelhas/gloria-maria.html, nem de notar como pessoas que só tinham a si mesmas tinham tanto: trabalho, planejamento, organização, competência, vontade E talvez alguma Ética. Claro: nada acontece a ninguém, sem a santa Oportunidade. Mas, não duvide: De esquerda é quem anda contra o vento, podendo até perder o chapéu, mas nunca o rumo.

Leia, também, AH, SE EU SOUBESSE, SÓ O ATO SALVA e só o ético pode orar, É MUITA ONDAA RIQUEZA E A POBREZA DAS NAÇÕES  O QUE É ISSO, COMPANHEIRO?

DOIS LOBOS

Uma noite, um velho índio falou ao seu neto sobre o combate que acontece dentro das pessoas. Ele disse:

– Há uma batalha entre dois lobos que vivem dentro de todos nós. Um é Mau. É a raiva, inveja, ciúme, tristeza, desgosto, cobiça, arrogância, pena de si mesmo, culpa, ressentimento, inferioridade, orgulho falso, superioridade e ego. O outro é Bom. É a alegria, fraternidade, paz, esperança, serenidade, humildade, bondade, benevolência, empatia, generosidade, verdade, compaixão e fé.

O neto pensou nessa luta e perguntou ao avô:

– Qual lobo vence?

O velho índio respondeu: “Aquele que você alimentar mais!”

enviado pr Marina Gentile

UM GRANDE NEGÓCIO? II

Devo escrever pouquíssimo: estou sob licença médica, tratando do braço direito (uma epicondilite voltou).

Segundo site Sindjufe, hoje, 25/01, tem uma assembleia de servidores na Justiça do Trabalho (Comércio), onde “a categoria vai iniciar os trabalhos referentes à eleição da direção do sindicato… Veja (http://www.sindjufeba.org.br/Avisos.aspx?id=839). É um trabalho importante, leitor. Você deve se interessar pelo que, supostamente, é seu.  Chegou a hora de fazer as correções que julgar necessárias. A menos, claro, que você esteja pensando em novo concurso, como, por exemplo, o do Senado (http://congressoemfoco.uol.com.br/noticias/senado-lanca-concurso-para-246-vagas-imediatas/). Lá, o técnico já começa com quase catorze e o analista, com mais de 23 mil. Não é exatamente a nossa realidade, né? Aliás, qual é mesmo a nossa realidade? Veja  O QUE É ISSO, COMPANHEIRO?…  E já que o assunto é sindicato, legislativo e judiciário, veja, também,  a entrevista do presidente do TST à revista Veja (21/12/11, ed.2248):

Sobre si próprio:

“… De fato, venho de baixo, de família muito pobre. Fui engraxate, lavador de carro, vendedor de revista, vendedor de pinhão em Curitiba, cobrador, balconista, garçom e office boy. Nunca, porém, deixei de estudar. Na juventude, dediquei-me aos concursos públicos. Fui escriturário e procurador da Caixa Econômica. Fui oficial de Justiça, promotor e professor da Universidade Federal do Paraná, até ingressar na magistratura. Fui talhado na luta. Trabalho mais de doze horas por dia com muito prazer, procurando fazer o melhor Só assim eu consigo dormir a noite inteira em paz com a minha consciência…”

sobre os nossos sindicatos:

“…A Constituição prevê o regime de sindicato único. Só deveria haver uma entidade representativa de cada categoria em determinada área. Na prática, há uma proliferação desenfreada de sindicatos. Isso se explica porque a criação de sindicato é um dos negócios mais sedutores e mais rentáveis que se podem cogitar neste país (…) Eles são criados, na maioria, não para representar as categorias, mas com os olhos na receita auferida pela contribuição sindical, que é uma excrescência. E dinheiro público transferido para entidades sindicais que o gastam sem prestar contas (…) O Brasil precisa ratificar com urgência a convenção da Organização Internacional do Trabalho sobre a liberdade sindical. Nosso país está entre os poucos de economia capitalista que ainda não o fizeram. Essa convenção consagra a ampla liberdade de criação de sindicatos, de filiação, de contribuição ou não. A extinção da contribuição sindical é fundamental. Mas a reforma sindical no cenário político de hoje infelizmente é remota. Existe sólida rede de interesses arraigados há décadas…

sobre a relação entre partidos e sindicatos:

“…É natural a filiação de entidades sindicais a partidos políticos com os quais elas se sintam mais identificadas. A questão está em saber se essa identificação com os partidos políticos atende aos interesses nacionais, porque nem sempre isso se dá. É preciso considerar que há sindicatos e sindicatos, líderes sindicais e líderes sindicais. Nem sempre são os mais saudáveis os interesses defendidos pela liderança sindical com repercussão no mundo político…”

sobre greves:

…o Supremo decidiu que se impõe às greves no serviço público a aplicação da lei que rege a greve na iniciativa privada – o que significa dizer que a participação em greve no serviço público implica a manutenção dos serviços essenciais em funcionamento e o desconto obrigatório dos dias não trabalhados. Na prática, não é isso que acontece. Os funcionários dos Correios, por exemplo, ficaram parados durante 28 dias e o governo só descontou sete. Considero isso ilegal (…) Estou entre aqueles que sustentam que determinadas categorias não têm o direito de deflagrar greve. O juiz não é um servidor público, mas um agente do estado, e, portanto, a greve no setor torna refém toda a sociedade. Os juízes devem dar o exemplo. A greve atinge e prejudica as pessoas menos favorecidas da sociedade, ou seja, os milhares de reclamantes que pedem o reconhecimento de direitos essenciais e inadiáveis para sua própria subsistência. O mesmo se aplica aos militares e às polícias…”

sobre impunidade a desvios de juízes:

“… a aposentadoria compulsória não é propriamente uma premiação. Quando se diz que a pena máxima é a aposentadoria compulsória, está-se referindo apenas à esfera administrativa, porque depois pode prosseguir a apuração da responsabilidade pela mesma conduta na esfera judicial – e então o juiz pode perder o cargo e a própria aposentadoria…

Pergunta oportuna: Mas já houve algum caso de perda do cargo e da aposentadoria?

Desconheço.

Leia na íntegra: http://www.conjur.com.br/2011-dez-18/presidente-tst-brasil-estrutura-sindical

REVISIONISMO

A chamada midia burguesa (sobre o assunto veja O POVO NÃO É BOBO, ABAIXO… e MULTIUSO8) não cansa de dizer que, no seu primeiro ano, Dilma já bateu todos os presidentes anteriores em popularidade. Inclusive o seu criador. Fiquei me perguntando: se não temos mais crescimento chinês nem indiano (como no 2º governo Lula), nem a EDUCAÇÃO PÚBLICA merece ser lembrada pelos 16 anos de PSDB e PT… de onde veem esses índices da Presidenta, que nem de ôba-ôba parece ser? Tá vendo que não gostar de “mal feitos” também dá resultado? Se liga RENOVASINDJUFE! Por falar em imprensa burguesa, olha que imagens interessantes (note na estrelinha no peito – seta branca na 1ª foto– do provável estudante, leitor):

…A IMPRENSA DENUNCIA, A CPI APURA, O POVO DERRUBA…

São momentos radiantes da queda de Collor. Na época não se dizia que a imprensa burguesa era “golpista“…. O tempo dá é volta, né (veja EM DEFESA DE KLEBER SALAZAR, etc)? Não lembra uma frasezinha absurda de Nélida Piñon? :

…é praxe do tempo escoar detritos, ortodoxias, ídolos, teorias, a tudo submetendo revisões…

(Lispector, Clarice. DE CORPO INTEIRO;  Artenova, Rio, RJ, 1975, fl.192).

Taí um livro raríssimo em que a autora entrevista grandes outras personalidades do pensamento brasileiro. Nele, aliás, a própria Clarice diz:

…a verdade  é mais simples do que a mentira… (fl.72)

Você também acha, leitor? As fotos, com muitas outras, estão no centro do inesquecível NOTÍCIAS DO PLANALTO- a imprensa e fernando Collor, de Mário Sérgio Conti (Companhia das Letras, SP, 1999).

Tinha esquecido: que corrente “de esquerda” estaria à frente da escola de jornalismo da USP, na época? PT? PCdoB? Quem sabe?

DANÇAR PRA NÃO DANÇAR

Dance, dance, dance

Gaste o tempo comigo

Não, não tenha juízo

Dê-se ao luxo de estar sendo fútil agora

Dance, dance, dance

Faça como Isadora

Que ficou na história

Por dançar como bem quisesse

Um movimento qualquer sobe a cabeça e os pés

Sinta o corpo Você está solta E pronta pra vir

Dance, dance, dance

Passe as horas comigo

Nesse duplo sentido

E no barato de ser um ser vivo ainda…(Rita Lee)

Veja o espetáculo DANS

em http://www.youtube.com/watch_popup?v=cWIhXzZT8dE&vq=largeS

enviado por Roberval Cardoso

O BRADO RETUMBANTE

Lembra que (sim, Soares!) passou por aqui (veja MULTIUSO9)? Eu tenho de perguntar: será que a Globo anda lendo o segundavia? Rs! É provável que não, mas  O MUNDO IRREAL DE AMANDA GURGEL, O POVO NÃO É BOBO, ABAIXO…, BECHARA, GEYSI E O LIVRO “POR UMA VIDA MELHOR”, EM DEFESA DE KLEBER SALAZAR e, principalmente, INSENSATO CORAÇÃO bem que mereciam uma citaçãozinha no puta O BRADO, que tá Retumbante demais! Que diálogo (falar de imagem e trama, na Globo, é bestagem)! Dinamite política pura! Educação do mais alto nível! Taí, a gente não quis sempre que os meios de comunicação de massa educassem o país? A gente não quis sempre que a mídia fosse a favor da sociedade e do povo? Pois é: a professora Antônia (papel da deusa Maria Fernanda Cândido) não está economizando nada (nem palavra, nem beleza, nem talento… Como a maturidade está se aproveitando dela!). Dilma,  arruma um primeiro damo, minha fia!  E pé na tábua!

COMENTÁRIO RETUMBANTE (sobre a morte do secretário)

http://www.vermelho.org.br/noticia_comentar.php?id_noticia=173723

Lembro aos visitantes que não é só o multiuso  que não se prende à nossa política local (Sindjufe).  Tudo aqui explora ou busca o barro formador de Gente e Cidadão: Ética, Pensamento, Literatura, Democracia, ArteEste é o nosso propósito, como a coluna de frase à direita deixa ver. Para nós, a ideologia é pensar (veja o blog) e Democracia não é um panfleto.  Não esqueça: clicando em artigos, resenhas, poemas/contos e multiuso você pode ver tudo o que já foi publicado. Incluisve LER DEVIA SER PROIBIDO, da mineira Guiomar Grammont, que pode mudar a sua vida.

Havia tábuas com as quais construir a fuga.

Não o fiz: não encontrei pregos com os quais tê-las unido,

sem tê-las ferido.

Não construí navios, nem dominei os mares.

Mas aprendi a nadar.

Talvez até devesse ter aprendido a manusear melhor a arma. Não sei se o fiz. Mas sei que, mais cedo ou mais tarde, quer queira, quer não, terei catado alguns mortos.

Agora, sei por que algumas aves loucas se batem contra as paredes. Que nem se abalam!

Deixarei que as tábuas se untem de mim e se colem por si, de tanta proximidade.

Deixarei que as árvores reconheçam os seus móveis.

MÓVEIS

Luiz Estrela

IMAGENS INSTIGANTES

Em 1969, dizem os historiadores, a guerra fria estava no auge, e o regime militar brasileiro, quase. A turma do saudoso Gal. Costa e Silva (por que ”saudoso“? Veja o blog, GRILAGEM x APAGÃO MORAL, O QUE É ISSO, COMPANHEIRO?…) já havia implantado o seu AI-5 (veja A PULGA, O BURRO e AS NORMAS), e nada que não interessasse ao governo estava mais que proibido… Mesmo assim, imagine, a então recém criada Veja (12a edição:http://veja.abril.com.br/acervodigital/home.aspx), capitalista e “reacionária“, não só fazia matérias elogiosas ao regime de Mao (que heresia! Veja CISNES SELVAGENS), como se permitia vender até produtos da linha marxista!! Até aí tudo bem, né (veja VOCABULÁRIO DE IDEIAS PASSADAS e A VINGANÇA DE MARX)? Será, meu deus, que o verdadeiro nome de ÉTICA E LIBERDADE DE EXPRESSÃO é Lucro? Sempre que necessário, clik nas imagens:

Notou que, na época, já se falava em carro para todos, leitor (veja o canto superior esquerdo da capa da revista)? Abaixo a “impresna burguesa“!

ELA NOS INTERESSA?

“… E o povo não sabe que o melhor modo de subir na escala social é pela educação, que é informação, e formação é força, é poder. Vai ajudar a tomar decisões mais acertadas, fazer melhores escolhas, conseguir emprego ou subir de cargo, ser mais gente, cuidar melhor de si e dos filhos, alimentar-se melhor, viver melhor. Gostar mais de si mesmo, valorizar-se e ser valorizado. E assim construir um país mais humano, mais digno, mais justo (…) Não vejo muitos governos, líderes de verdade querendo um povo educação, isto é, informado. Pois quem se informa, quem sabe das coisas, questiona a situação da sua comunidade, seu estado, seu país. Questiona sua própria condição. Não vai mais querer morar em cima de velhos lixões mal disfarçados, ver seus filhos comendo restos, brincando com água de esgoto, morrendo por falta de cuidados essenciais (…) Um povo educado é como um filho positivamente rebelde que …

Lya Luft, Revista Veja, 22dez/10, ed.2196

Texto completo em http://www.cpp.org.br/siscon/print.php?2010/12/22/educa-o-ela-nos-interessa.phtml

CAPITÃO RENASCIMETNO

Na entrevista que deu à CULT (ed. 163, nov/11), o ex-militante do antigo PCB (atual PPS) e autor do livro que inspirou o filme Tropa de Elite, Luiz Eduardo Soares, disse poucas e boas. Uma delas:

“…participei da luta clandestina contra a ditadura (…) Hoje, dizer que é de esquerda tem pouco significado, serve apenas para mascarar posições (…) Busco maximizar igualdade e iberdade em equilíbrio; a hipertrofia daigualdade gera o socialismo de Estado, o totalitarismo; a hipertrofia da liberdade gera um mercado darwiniano, que legitima a desigualdade…” fl.17

Com a palavra quem discorda.

DA BOCA: PRA FORA E PRA DENTRO

Revista ISTO É, 04/JAN/11, ED. 2199

MORRO DE SAMBA

Ainda é cedo, amor Mal começaste a conhecer a vida (…) Ouça-me bem, amor Preste atenção, o mundo é um moinho Vai triturar teus sonhos, tão mesquinhos…

(O MUNDO É UM MOINHO/Cartola)http://letras.terra.com.br/cazuza/96668/

Se você tá precisando dar uma lavadinha no ouvido, amigo, vá. Otorrinos: Cristina D’Avila, Simone Mota e músicos. Clínica: bar Pedra da Sereia/ Rio Vermelho. Tratamento: MORRO DE SAMBA. 01 de fevereiro tem mais.

CONTRATEMPO

Acabo de assitir ao documentário CONTRATEMPO (CANAL Brasil, Sky,66). Meu filho precisa ver. Você também, leitor. Que coisa tocante! Uma garotada from Grota do Surucucu (favela do Rio de Janeiro; alguns nem conhecem os pais!) chega até Nova York, anda de limosine (ô bicho doido, o capitalismo!) e, cheia de molejo, rasga em violinos um inacredtável Mozart.  Meu deus, o que seríamos se não fossem a vagabundagem, os ladrões e a política? Vixe, será que fui redundante?

Um desses meninos, aliás, já estuda direito e dá aula no próprio projeto (Vila-Lobos), para se sustentar. Eu não acreditei quando vi a menina tirando Bachiana no 05 (http://www.youtube.com/watch?v=NxzP1XPCGJE) do violoncelo, como se estivesse lavando um prato…O que seria de nós, meu deus, se não fôssemos nós mesmos? Veja sobre o filme: http://www.adorocinema.com/filmes/contratempo/

um poeminha pra eles:

Acesa sobre o pires, persegue o alvo.

Acontecida sobre os mares,

alfabetiza o barco .

VELA

luiz estrela

Anúncios
Esse post foi publicado em machadodeachismo, oxigênio. Bookmark o link permanente.

5 respostas para MULTIUSO 13

  1. Eneida disse:

    Parabéns Luiz Estrela, pelo blog e pelas lindas poesias. Muito lindas mesmo!
    Eneida.

  2. Pedro Vieira disse:

    “Maria das Graças Silva Foster”, esta mulher mostra que o dito popular: “Quem com porcos se mitura, farelos come…” – está totalmente errado!

    Boa publicação!

    Abraço.

  3. Marina Gentile disse:

    Oi Luiz,
    A reportagem da ex-catadora de papel, sua trajetória, mostra que independente das condições em que a pessoa vive é necessário o “querer e esforço pessoal”. Ela é um exemplo maravilhoso para todos, um exemplo de mulher que tem a inteligência como instrumento de crescimento. Amei esta publicação.

    A Glória Maria é um outro bom exemplo.

    Aquele texto ref. aos lobos não é minha criação, eu apenas recebi pela internet e repassei. Eu tinha certeza que vc iria gostar amigo. A interpretação é sempre pessoal, mas ali mostra claramente que nos transformamos naquilo que alimentamos. Assim como vc, também gostei muitíssimo.

    Boa semana…

  4. Maria disse:

    Esse blog é igual a vinho, quanto mais o tempo passa fica melhor…

  5. Eneida disse:

    Do conteúdo político e do que merece crítica, sempre bem fundamentada e oportuna.

    Boa leitura mesmo, uma verdadeira revista, que eu compraria, se estivesse nas bancas.

    Se fosse mais jovem e ainda tivesse meus sonhos de juventude imagino que… faria um trabalho como este(pretensão).

    Ainda bem que existe uma pessoa como você que se doa em favor do pensamento coletivo, com vistas ao bem comum.

    Que Deus o abençoe e possa cultivar o exercício do pensamento e conservar o espírito de luta próprio da juventude. Não que o grande professor Darcy Ribeiro não o tenha conservado e tantos outros.
    Um bom dia para vc e saiba que fiquei feliz com sua resposta.
    Abs! Eneida.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s