“JULGAR É SENTIR”

03/05. VILLA, JÔ…

http://www.youtube.com/watch?v=iNl25SyOJMs

02/05. FUTEBOL e POLÍTICA

Fonte: Veja, ed.2267, 02maio/12

1º/05. Hoje é 1º de maio, 10º aniversário do Sindjufe-ba. Já é um adolescente, embora velho, despolitizado, cheio de vícios e vazio. Não posso te dar parabéns, Sindjufe. E você, leitor? Como às 04:39 (quando sentei) já havia 34 pares de olhos por aqui, e, neste momento (08:50h), já são 54, imagino que não. Aliás, gostei muito de, pela primeira vez na vida, o esquecido ÁGUIA OU GALINHA? ter recebido 10 bicadas de mouse, em um só dia. Seria isso  uma certa procura? Obrigado pelas visitas e boa leitura.

 ENQUETE5

………………………………………………………………………………………“JULGAR É SENTIR”

Estamos aqui para aplicar a lei e não para fazer justiça. Assim, um ministro do Supremo Tribunal Federal teria respondido à indagação de uma servidora em 1936, segundo Marco Antônio Villa (A HISTÓRIA DAS CONSTITUIÇÕES BRASILEIRAS – 200 anos de luta contra o arbítrio Editora Leya, SP, 2011), para quem a frase do Ministro seria “…uma espécie de síntese da ação do STF em mais de 120 anos de existência…”. De fato, segundo o senso comum referendado por Fábio Konder Comparatto (ver CONSELHO DE ÉTICA), o papel de criar a Lei baseada em Ética (contenção, responsabilidade, preocupado com o todo, bem-estar coletivo, dignidade e justiça) para impor sanção é do Legislativo, o que – em parte pelo menos – parece dar razão ao magistrado. E sendo do legislador, em última análise é do cidadão (politikós, de onde vem Política). Só que a última sessão do STF (que decidiu sobre a legalidade das cotas raciais nas universidades públicas) não deixou dúvida quanto ao tamanho da responsabilidade pessoal de um juiz. Sim, num país baixo astral como o Brasil, já seria muito apenas aplicar imparcialmente a lei. Mas não seria justo que – exatamente por se tratar de um país baixo astraljulgar fosse menos que sentir. Afinal, não é pra isso que a justiça é cega?

A HISTÓRIA DAS CONSTITUIÇÕES BRASILEIRAS é um livro pequeno. São 156 quase divertidas páginas (um capítulo para cada carta magna), mas que danadas, viu? Ô livrinho abusado! Fico a imaginar: meu deus, já pensou se o STF tivesse a força de um Sindjufe? Neste caso, como você acha que ele agiria, caro (e)leitor. Como um Shakespeare (Willian. MEDIDA POR MEDIDA. Obra Completa, vol.II, Rio de Janeiro, Ed. Nova Aguilar, 1995, fl. 159)?:

…é admirável ter a força de um gigante, mas é tirânico servir-se dela como um gigante…”

Ou como um Chefão?: GRILAGEM x APAGÃO MORAL

Sujeito de sorte esse Villa! Dúvida? O SISTEMA É BRUTO. MAS FALHO – parte 1, O SISTEMA É BRUTO… – parte 2 e O SISTEMA É BRUTO, MAS FALHO – parte 3 explicam tudo, tin-tin por tin-tin. O ZIGUE-ZAGUE DAS PALAVRAS, BLEFE, QUEIXO DURO!, NADA MAIS DO QUE A VERDADE?, Ô COITADO, etc, também. Mas (em 17/maio tem eleição, viu?) não esqueça: o DESVIO NO SINDJUFE É DE (BEM) MAIS DE MEIO MILHÃO! Beeeeeem mais! Isto é: segundo o que a auditoria pôde apurar, né? Cópia da famosa fl. 06  aqui: ELE ESTÁ SÓ E SEM O QUE FALAR!… Prefere resumão? Aqui: O QUE É ISSO, COMPANHEIRO?

Na mesma folha 131, o abusado autor de muitos livros, professor-doutor, homem de imprensa e blogueiro (http://www.marcovilla.com.br/) ainda diz que “… De responsável pela defesa da Constituição e da democracia…”, o STF “… transformou-se, muitas vezes, em uma seção – subalterna- dos interesses do Executivo…”. E as exceções”, continua, “…acabaram sendo punidas com a aposentadoria dos ministros ‘rebeldes’ e com a complacência dos pares…”.  Sabe como é, né, leitor? NADA É TUDO. Mas olhe que caráter: quando deputado, o então futuro ministro Adauto Cardoso era da Arena (o PFL dos militares!), que era o partido do diabo da época. Mas e daí? A esquerda, em especial o PT, não era o partido de deus (verdade seja dita: o mesmo nunca se pôde dizer do PCdoB)? E não aconteceu o que aconteceu? Voltemos ao caráter:“…com a farsa de um Supremo que aceitava passivamente a violação das liberdades fundamentais” (fl. 143)

Sabe como se chama esse seu último capítulo, leitor? O STF e as liberdades: um desencontro permanenteTirado, né? Todo o livro, aliás, que abarca toda a vida por trás de todas as nossas constituições, é tirado. Com raiz e tudo e do mais fundo da terra brasileira! E por que esse “desencontro”, meu deus? Ora, leitor, não já sabe que NADA É TUDO? Não lembra do que a galera do Sindjufe fez quando temeu que o seu negócio viesse a público (veja CABA NÃO, MUNDÃO, ACM, MEU AMOR)? Foi dado um pé-na-bunda dos artigos já publicados no site (já publicados!); editou-se um AI5 que a blidasse, e um diretor ainda saiu distribuindo ações judiciais (DE ARAQUE, mas saiu!) contra este filiado, não foi? Tudo cosmético, mas o PETELECO e o AI-5 foram pra valer, apesar do artigo 6, f do nosso estatuto:

Art. 6º – São deveres dos filiados:

f) contribuir com o Sindicato com informações, notícias e artigos de interesse da classe;

Ninguém é É BOBO, né, (e)leitor? Veja: A PULGA, O BURRO e AS NORMAS (leia o pdf), m…NO VENTILADOR?… Pergunta: a rolha na boca (rolha!) é boa para a entidade, para você ou para a democracia? Não (veja o que diz, por exemplo,  o governador Jaques Wagner, no MULTIUSO4)! É bom pra quem? Claro que se fosse ruim pra todo mundo, já tinham tirado (da boca), né? Quem ganha com esse silêncio, leitor? Aliás, não são os donos da rolha que agora falam em “avança Sindjufe“? Avança pra onde, jesuis? Não já são 10 anos de mando (numa entidade de 10) fora os 500 do antigo Sintrab? Não já é hora de alguém ver aquilo por dentro, meu deus? Já, (e)leitor. Pelo menos para que você saiba se éramos sinceros quando falávamos em XÔ CORRUPÇÃO!… E você tem responsabilidade, nisso, certo? Votar é julgar. E JULGAR É SENTIR, concorda? Aliás, essa galera que, quando em perigo, violou o estatuto da entidade e se blindou já andou falando até em “ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITOe DEFESA DA ÉTICA E DA LIBERDADE, INCLUSIVE DE EXPRESSÃO, sabia (clik na imagem à  esquerda)? Que pecado (veja E-MAIL ENVIADO AO SR. …)!

A História é simples e conhecida, amigão. Sempre tem cosmético, BLEFE, oportunismo, ideologia… Mas:

a dominação de um grupo por outro sempre esteve conosco: quando um grupo é suficientemente forte para dominar um outro e tirar proveito disso, não hesitará em fazê-lo. Mesmo que o Estado se abstenha da agressão, empresas e indivíduos não aguardarão a permissão para agir. Pelo contrario, agirão em seu próprio interesse, arrastando outros com eles, inclusive o Estado

(veja A RIQUEZA E A POBREZA DAS NAÇÕES)

Concorda? Quem, por feliz ou infeliz pureza d’alma, tiver alguma dúvida, deve lembrar que, quando acabou, a autodestruída URSS já tinha lá os seus Donos de Capital. Não tinha? E, lá, tudo era “público” oudos trabalhadores (veja VOCABULÁRIO DE IDEIAS PASSADAS), não era? Não se engane, filho: uma sociedade é trânsito. E suas regras têm de ser como as de trânsito! Se não … Perde fluência. Agora, se na sua (um sindicato, por exemplo), é a regra quem diz sim, senhor…  Veja este caso:

Essa foi demais, né (fl.135)? São 200 anos de luta contra o arbítriocumpade! E não é também por custas que O TJ-BA DEVE REVER UMA CERTA DECISÃO?  Não amigo, o importante nunca foi o coletivo (no governo Sarney se dizia “tudo pelo social”), por uma simples razão: o interesse público nunca existiu na natureza (veja FIONA WALKER/MULTIUSO8). Agora, imagine isso sem boa Democracia, que tem de ter bom Judiciário? Um, aliás, não vive sem o outro, né? Veja o que diz um ex-ministro (Antônio Villa, fl. 141):

E se na nossa (Democracia), o presidente da mais alta corte fala em “terceiro olho” e que “…sentença deriva do verbo sentir…”É MUITA ONDA ou não, amigão? É. Afinal, estamos falando de um país com fama mundial em excelência de Lei…  E  não cumprimento.  Tudo bem que a gente já pode se gabar de ter até um Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Mas, pregar que …Justiça não é algo que se aprende, é algo que se sente, como fez o  Ministro Luiz Fux (citando o próprio presidente da Corte … : http://www.stf.jus.br/portal/cms/verNoticiaDetalhe.asp?idConteudo=205999). É ou não uma revolução, leitor? É, rapaz (a)! E de esquerda (não se pode falar em ética, sem falar em esquerda, né? Ou pode?)! Tanto que, além de oficializar que “…Quem não sofre preconceito de cor já leva uma enorme vantagem…”, como oficializou o Presidente Ayres Brito (http://www.istoe.com.br/reportagens/202246_COTAS+RACIAIS+EM+UNIVERSIDADES+SAO+CONSIDERADAS+CONSTITUCIONAIS+POR+UNANIMIDADE+NO+SUPREMO?pathImagens=&path=&actualArea=internalPage),  a sua colega, Ministra Rosa Weber, ainda calcou que “Pobreza no Brasil tem cor…” (http://www.stf.jus.br/portal/cms/verNoticiaDetalhe.asp?idConteudo=206010)

Você vai dizer que quer é novidade, né? Na própria realidade, admito que não tem, como já em BECHARA, GEYSI E O LIVRO “POR UMA VIDA MELHOR”.  Mas, veja que a própria The Economist – britânica, capitalista, “conservadora”…-  em longa matéria onde tratou até desse então futuro julgamento histórico do supremo, já chegou a dizer que

“…os negros brasileiros estão muito piores do que deveriam estar…. E perguntou: “Qual é a melhor forma de remediar isso?… (Afirmando uma dívida, imagem –http://www.economist.com/node/21543494)”.

Notou no subtexto abaixo do peito verde e amrelo, leitor? A sombra do passado! Reflexivo, né? A feliz novidade é que os próprios discursos e os 10×0 do Supremo talvez  mostrem que até o Brasil já se envergonha de si mesmo. Será? Um outro provável grande discurso (julgamento do mensalão) da Suprema Corte talvez se junte a este primeiro e ajude a fazer com que a democracia e a dignidade deste país se desempocem. 

Mais uma do livro:

…somente depois de teres deixado a cidade, verás a que altura suas torres se elevam acima das casas…

                                                                                               Nietzsche

Veja, também:

BRASIL em MULTIUSO14

FALSIDADE IDEOLÓGICA?

MINISTRO JOAQUIM BARBOSA: “Judiciário tem grande responsabilidade pelo aumento da corrupção no país”

TEMPERATURA MÁXIMA!!

QUEM ESTÁ CURTINDO ESSA FESTA?

 FERVIDOS E MAL PAGOS? 

INSENSATO CORAÇÃO

LA VIDA POR LA IZQUIERDA E O ADVOGADO DO EX-MINISTRO ORLANDO SILVA

TUDO PODE DAR CERTO?

FALSO BRILHANTE ou FINA ESTAMPA?

MINISTRA ELIANA CALMON E AS RAZÕES DO ILUMINISMO

AMORAL DA HISTÓRIA

Anúncios
Esse post foi publicado em e-mail sindjufe, machadodeachismo, resenha. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s