BRAVO!

 

MULTIUSO7

 

 

18/03. Comecei a dormir, ontem, antes das 22h00. Terminei às 06h30, hoje. Já corri. Tô novinho em folha: à noite tem novidade em  MULTIUSO7

17/03. Não deu de novo. Fui dormir depois de 01:30h, agarrado a 04 volumes de um processo que vivi  (assédio, etc). Quem mais  poderia reunir os seus pontos forte e fracos para  um MEMORIAL? Juntado o barro, agora entra o artezão (advogado), que dele fará uma peça  e a exporá ao crítico de arte (magistrado). Até amanhã, viu galera?

16/03. Galera, não deu. Tenho de auxiliar um dos meus advogados, num processo. Fica para hoje.

15/03 –aconteceu um desastre: trabalhei ontem das 18:00h  às 00:30h. Agorinha (06:30h) mesmo estava só penteando e passando baton no texto. E ele sumiu (acontece!). Mas, tenho-o no word (só que preciso correr . Agora, só de noite)

Galera, a quantidade de processos me afastaram do dia-a-dia, e tive de dedicar o domingo às  contas… Mas, hoje à noite alguma coisa sai, inclusive no Multiuso. Até mais.

    Já voutou na ENQUETE4?

                                               …………………………………………………………………………BRAVO!

Bravos e sinceros? Nem tanto. Tão destemidos no interior da vara trabalhista e tão irreconhecíveis até mesmo no processo administrativo (interno). Na audiência de instrução de ontem (não  mais no ambiente interno), mais uma vez fiquei de queixo caído (e sentido). O diretor (internamente representado e externamente testemunha) disse que era meu amigo.  E a adjunta que, em 09/03/05, havia me chamado de covarde (sem necessidade, nem razão. Mero atrevimento, mesmo), rodou  o filme ao contrário (como no PA) e disse:

ele fazia críticas a uma funcionária (citou o nome), com as quais eu concordava em parte… Numa reunião, ele disse que eu deveria falar com o diretor para retirar a gratificação (da funcionária)… E disse que eu não fazia porque era covarde

A sorte é que ela mentiu errado:

  • no PA, existe o depoimento de  servidora importante da 3ª Vara, informando que viu a mesma adjunta pedir desculpas a José Luiz, na frente de todos, pelo ocorrido no dia 09/03. “Desculpas” de quê? Do “covarde”. Agora vê se cola: eu chamo uma chefe hierárquica de “covarde”, ela me pede desculpas publicamente e eu ainda vou à Administração contra ela e à Justiça contra a União…  Sou ou não não sou doido?
  • A funcionária que ela citou como sendo perseguida por mim (ô, minha amiga, que tempo eu tinha, se tivesse talento e poder para?) nem gratificada era. Tanto que foi a ela que o diretor e a diretora transferiram a remuneração de “substituição” entre 11 e  25 de maio/2005. Sabe do que tô falando, né? Ô minha amiga, não se lembra do que a própria “perseguida” disse no PA? Que não tinha nenhum atrito comigo?  Se lembra da, digamos, hermenêutica que fiz do seu próprio depoimento no PA? Coisa feia! Pelo amor de deus: verdade deixa rastro! Quem fala a verdade não se contradiz! E você depôs sob juramento, não foi?

Quando o diretor se declarou meu “amigo”, chegou dá um arrepio (quanta diferença daquele ex-vitorioso chefe que passava por este então humilhado não mais servidor da vara e dizia: “…diga José Èestreela…tudo beemm? E aí, cadê o processo?…).  Aí, o Juiz indagou:

íntimo?

Íntimo não, mas amigo

 Ainda bem que íntimo não, né? É por isso que eu me dou tão mal na vida, meu deus.  Agora que entendi o porquê de ter sido chamado (na reunião de 11/03/05, com todos presentes, inclusive o estagiário de direito Bernardo) de “falso, traíra e pouco honesto”. Mas o que doeu mesmo foi ver o “amigão” que retirou a FC4  (enquanto este então lesionado notificador se tratava!) dizer que retirou a gratificação porque o empenho do gratificado já não era o mesmo de quando ganhou a gratificação… Ô, meu amigão, e as tais razões médicas, jesus?  Não foram elas tantas vezes repetidas no PA (impossibilitado de desempenhar várias atribuições na secretaria…)?  E aqueles seis meses de atualização especial do prazo da vara (a mando do Corregedor)? Lembra?  Quatro pessoas despachando (duas delas saídas da secretaria), mais sala de audiência, mais gabinete do Juiz, mais balcão (quantas horas?), mais mutirão … contra estas apenas duas mãos recém autotreinadas na notificação, que não ficou pra trás… Lembra do “excelente funcionário”?  E do … nada será esquecido, Estrela…”?  Na moral,  meu amigão

Você lembra que aquela seção de notificação, mesmo durante o temporal do prazo, passou a regime de porteira fechada (tudo da notificação por conta de um só)? E você ainda jogou para dentro da porteira  o tal do tirar prazo da notificação … (lembra que eu, e não a coordenadora, entrava pela noite examinando o prazo do que eu próprio fazia?). Coisa de doido, né? Você lembra que, também, jogou para dentro da porteira as tramitações  (antes do diretor) de admissão/denegação de recurso e pagamento de custas, não lembra?  E do agora você vai rebolar mais do que azeitona na boca de banguelo, Estrela?  Você acertou, meu amigão! O meu pulso esquerdo rebolou legal, junto com a cabeça e a gratificação.  Mas o que eu queria ver mesmo era aquela bravura de antigamente. Senti falta daqueles 04, 09 e 11 de março de 2005 e outras cositas mas…  Você lembra do

 “…o que é que você tá falando aí? É do trabalho? Tô lá dentro e tô vendo você…

Você tá um diplomata, meu amigão.  Parabéns.

Anúncios
Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s